Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

XVI - SERVIR A DEUS E A MAMON – DESIGUALDADE DAS RIQUEZAS – item 8

HORA DO EVANGELHO NO LAR - segunda-feira, 13 de maio de 2019

HORA DO EVANGELHO NO LAR

"A fonte do mal está no egoísmo e no orgulho. Os abusos de toda espécie cessarão por si mesmos, quando os homens se dirigem pela lei da caridade." - Allan Kardec (ESE, Cap. XVI, item 8)

 

PRECE 

Queridos irmãos, que a Paz de Jesus permeie nossas vidas hoje e sempre.

Jesus, Mestre Amigo de todas as horas, nós te pedimos que nos abençoe e nos proteja em todos os momentos de nossas vidas, em especial, neste momento em que nos preparamos para o Estudo do Teu Evangelho.

Rogamos Senhor, que nos envolva com Teu Amor e Tua Luz tornando nossos dias mais leves e serenos, auxiliando-nos a compreendermos e aplicarmos em nossas vidas os Teus ensinamentos.

Assim, com Tua permissão, Mestre Jesus e com a presença dos benfeitores amigos que conduzem este trabalho, iniciamos nossos estudos de hoje.

Permaneça conosco Senhor, nos amparando, nos fortalecendo e dando-nos o discernimento necessário para que possamos assimilar as lições de hoje.

Que assim seja!

 

MENSAGEM INICIAL
RIQUEZA

Rico é o pântano pelos depósitos de matéria orgânica.

Rica é a enxurrada pelos recursos de adubação.

Rica é a argila pela maleabilidade com que obedece ao oleiro.

Rica é a pedra pela segurança que oferece à construção.

Rica é a ostra que encerra a pérola no próprio seio.

Rica é a árvore pelos tesouros que espalha.

Rico é o serro bruto pelos metais que esconde.

Rica é a areia que defende o leito das águas.

Rica é a fonte que auxilia sem recompensa.

Rica é a forja pelas utilidades que produz.

Rica é a dor pelas lições que ensina.

O Senhor não criou a pobreza.

Além disso, converteu o homem no rei coletivo da definição, permanece detido na posição de chefe dos animais.

Onde há luz de inteligência, não há penúria.

Cada coração pode ser um manancial de bênçãos.

Doar estímulo, fraternidade, alegria, consolo, esperança e amor é mais que transferir as bênçãos dos recursos amoedados.

Estejamos a postos para trabalhar e servir, sem olvidamos que se há grandes benfeitores da Humanidade, que semeiam fortunas incalculáveis na preservação da saúde e da instrução da vida comunitária, Jesus, ainda e sempre, é o maior de todos os redentores da Terra, porque ofereceu ao mundo a própria vida, no sacrifício supremo do próprio coração.

Livro: “Endereços de Paz” - André Luiz/Chico Xavier.

      

LEITURA DO EVANGELHO

CAPÍTULO XVI – SERVIR A DEUS E A MAMON – DESIGUALDADE DAS RIQUEZAS – item 8.

8 – A desigualdade das riquezas é um dos problemas que em vão se procuram resolver, quando se considera apenas a vida atual. A primeira questão que se apresenta é a seguinte. Por que todos os homens não são igualmente ricos? Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. Aliás, é uma questão matematicamente demonstrada que, supondo-se feita essa repartição, o equilíbrio seria rompido em pouco tempo, em virtude da diversidade de caracteres e aptidões; que, supondo-a possível e durável, tendo cada um somente o necessário para viver, isso equivaleria ao aniquilamento de todos os grandes trabalhos que concorrem para o progresso e o bem-estar da humanidade; que, portanto, supondo-se que ela desse a cada um o necessário, desapareceria o estímulo que impulsiona as grandes descobertas e os empreendimentos úteis. Se Deus a concentra em alguns lugares, é para que dos mesmos ela se expanda, em quantidades suficientes, segundo as necessidades. Admitindo-se isto, pergunta-se por que Deus a concede a pessoas incapazes de fazê-la frutificar para o bem de todos. Essa é ainda uma prova da sabedoria e da bondade de Deus. Ao dar ao homem o livre arbítrio, quis que ele chegasse, pela sua própria experiência, a discernir o bem e o mal, de maneira que a prática do bem fosse o resultado dos seus esforços, da sua própria vontade. Ele não deve ser fatalmente levado a um nem ao outro, pois então seria um instrumento passivo e irresponsável como os animais. A fortuna é um meio de prová-lo moralmente; mas como, ao mesmo tempo, é um poderoso meio de ação para o progresso, Deus não quer que permaneça improdutiva, e é por isso que incessantemente a transfere. Cada qual deve possuí-la, para exercitar-se no seu uso e provar a maneira por que o sabe fazer. Como há a impossibilidade material de que todos a possuam ao mesmo tempo, e como, se todos a possuíssem, ninguém trabalharia, e o melhoramento do globo sofreria com isso: cada qual a possui por sua vez. Dessa maneira, o que hoje não a tem, já a teve no passado ou a terá no futuro, numa outra existência, e o que hoje a possui poderá não tê-la mais amanhã. Há ricos e pobres porque, Deus sendo justo, cada qual deve trabalhar por sua vez. A pobreza é para uns a prova da paciência e da resignação; a riqueza é para outros a prova da caridade e da abnegação. Lamenta-se, com razão, o triste uso que algumas pessoas fazem da sua fortuna, as ignóbeis paixões que a cobiça desperta, e pergunta-se se Deus é justo, ao dar a riqueza a tais pessoas. É claro que, se o homem só tivesse uma existência, nada justificaria semelhante repartição dos bens terrenos; mas, se em lugar de limitar sua vida ao presente, considerar-se o conjunto das existências, vê-se que tudo se equilibra com justiça. O pobre não tem, portanto, motivo para acusar a Providência, nem para invejar os ricos, e estes não o têm para se vangloriarem do que possuem. Se, por outro lado, estes abusam da fortuna, não será através de decretos, nem de leis suntuárias, que se poderá remediar o mal. As leis podem modificar momentaneamente o exterior, mas não podem modificar o coração: eis porque têm um efeito temporário e provocam sempre uma reação mais desenfreada. A fonte do mal está no egoísmo e no orgulho. Os abusos de toda espécie cessarão por si mesmos, quando os homens se dirigem pela lei da caridade.

 

REFLEXÕES: Deus deu ao Espírito, o livre-arbítrio, através do qual faz ele a sua evolução, segundo a sua vontade nas experiências vivenciadas. Quis que ele, assim, desenvolvesse todo o seu potencial intelectual e moral, no esforço de descobrir, criar, realizar, renovar. A fortuna é, pois um meio de evolução moral e “um meio de ação para o progresso”. Todos a experienciam, no decorrer das reencarnações, ora uns, ora outros, a fim de aprender a usá-la com inteligência e sabedoria.  Kardec afirma que a pobreza na Terra é para uns, prova de paciência e de resignação, da mesma forma que a riqueza é para outros, prova de caridade e da abnegação. Nas leis divinas não há privilégio, nem favores. Todos os habitantes da Terra, tendo de fazer sua evolução, experimentam, igualmente, na existência certa, segundo suas capacidades, as experiências adequadas para a continuidade desse processo. A educação e a autoeducação na melhoria de cada um é que vai levar os homens a saberem usar os bens materiais no desenvolvimento espiritual de si próprio e do mundo em que habita.

*Fonte: texto extraído do site http://www.cebatuira.org.br/

 

PRECE E VIBRAÇÕES - 

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

 

Mestre Jesus! Ampara nosso propósito de servir. Que em teu nome e com o auxílio dos bons espíritos, possamos ajudar àqueles que estão mais necessitados do que nós.

Senhor, há quem esteja muito infeliz, Te rogamos: abençoa os que sofrem! Dá a cada sofredor a suavização de suas dores, um bálsamo para suas tristezas!

Senhor, muitos de nossos irmãos estão nos vícios, no crime, nos grandes prejuízos físicos e morais. Tem piedade deles! Que possam se corrigir a tempo, para não virem a sofrer as duras consequências de seus erros.

Nos hospitais, nos lares, os enfermos esperam um conforto e querem sarar. Senhor, que as nossas vibrações neste instante levem até eles o alívio para seus males.

Vibramos por todos os dirigentes de todas as nações, especialmente os do nosso país. Que sob tua proteção, governem com amor e justiça, em favor dos seus povos.

Vibramos também por todos os líderes religiosos, pelas Casas Espíritas, por todos os seus colaboradores, para que possam levar sempre os teus ensinamentos a todos os lugares.

Vibramos por todos os lares, pelo nosso também!  Que neles reinem o respeito, a harmonia, a ajuda mútua.

Quanto a nós, Senhor, pedimos perdão de nossas falhas. Ajuda-nos a desenvolver as virtudes que colocaste dentro de nossas almas.

Graças, Senhor, por todas as bênçãos que sempre nos dás.

Pela coragem de enxergarmos as dificuldades criadas por nós mesmos; pelas provas que nos aperfeiçoam o raciocínio e nos abrandam o coração; pela fé na imortalidade; pelo privilégio de servir; pelo dom de saber que somos responsáveis pelas próprias ações;

Pelo conforto de reconhecer que a nossa felicidade tem o tamanho da felicidade que fizermos para os outros;

Pelo discernimento que nos permite diferenciar aquilo que nos é útil daquilo que não nos serve;

Pela bênção da oração que nos dá apoio interior para a necessária solução de nossos problemas; por nossas águas que estão sendo fluidificadas neste momento que nos dá equilíbrio e forças; pela tranquilidade de consciência que ninguém consegue nos tirar;

Por tudo isso, e por todos os demais tesouros, de esperança e de amor, de alegria e de paz, com que nos enriquece a existência, Nós te agradecemos Senhor!...

Obrigada Senhor. Que assim seja.

 

Paz e Bem!

comments powered by Disqus