Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Cap. XVI - SERVIR A DEUS E A MAMON -– JESUS EM CASA DE ZAQUEU – item 4.

HORA DO EVANGELHO NO LAR - segunda-feira, 15 de abril de 2019

HORA DO EVANGELHO NO LAR

...o filho do Homem veio buscar e salvar o que tinha perecido. Jesus.” (Cap. XVI – item 4)

 

PRECE 

Queridos irmãos, é com alegria no coração que iniciamos mais um estudo do Evangelho. Que a Paz de Jesus envolva a todos neste momento.

Mestre Jesus, que o estudo de hoje possa nos iluminar e nos fazer refletir com clareza sobre nossas ações de cada dia, lembrando-nos sempre que, cada gesto de amor que realizarmos em favor de nossos semelhantes é mais um passo na direção de nossa evolução espiritual.

Que possamos ser amparados e fortalecidos na fé e no amor em todos os dias de nossas vidas.

Mestre Jesus, permita que nossos benfeitores espirituais nos deem assistência, nos auxiliem nos esclarecimentos necessários para assimilarmos Teus ensinamentos e aplicá-los em nossas vidas.

Obrigada Senhor, por mais este dia, por nossa família, pela oportunidade do estudo edificante e sobretudo, pela Tua Presença em nossas vidas.

E assim Mestre Jesus, em nome de Deus, nosso Pai e em Teu Nome, iniciamos nossas reflexões acerca do Teu evangelho de luz.

Sê conosco Senhor e que assim seja!

 

MENSAGEM INICIAL
RIQUEZA E AÇÃO

Todas as oportunidades de estudo e progresso, aprimoramento e educação, constituem talentos que o Senhor nos empresta, a fim de que possamos com ele colaborar na extensão da Obra Divina.
Em razão disso, a riqueza não é somente o depósito bancário ou a bolsa repleta.
Riqueza é também a saúde que produz reconforto e o pensamento equilibrado a exprimir-se em bênção de segurança.
Riqueza é mão que trabalha e a inteligência que raciocina.
Por isso mesmo, ninguém é tão pobre que não possa algo fazer na rota do bem comum.
Assim considerada, a riqueza no mundo é qual o sangue no copo.
Ergue-se a máquina fisiológica, em todo o seu conjunto soberbo de peças, à base do líquido sanguíneo que circula, generoso e incessante.
Tudo nesse universo de células microscópicas é atividade infatigável, para que a vida se expresse divina e soberana.
A parada intempestiva ou o empobrecimento do sangue carreiam a morte.
Em nossa condição de ricos do dinheiro ou da habilidade, de coragem ou esperança, equilíbrio ou conhecimento, é indispensável nos devotemos ao serviço da elevação e da felicidade de todos os que nos cercam, de vez que a preguiça, irmã gêmea da sovinice, é, em verdade, a fonte da ignorância que traz consigo, em tudo, as chagas da penúria e os tormentos do mal.

Livro “O Essencial” - Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

     

LEITURA DO EVANGELHO

CAPÍTULO XVI – SERVIR A DEUS E A MAMON

– JESUS EM CASA DE ZAQUEU – item 4.

4 – E tendo entrado em Jericó, atravessava Jesus a cidade. E vivia nela um homem chamado Zaqueu, e era ele um dos principais entre os publicanos, e pessoa rica. E procurava ver Jesus, para saber quem era, e não o podia conseguir, por causa da muita gente, porque era pequeno de estatura. E correndo adiante, subiu a um sicômoro para o ver, porque por ali havia de passar. E quando Jesus chegou aquele lugar, levantando os olhos, ali o viu, e lhe disse: Zaqueu, desce depressa, porque importa que eu fique hoje em tua casa. E desceu ele a toda pressa, e recebeu-o gostoso. E vendo isto todos murmuravam, dizendo que tinha ido hospedar-se em casa de um homem pecador. Entretanto Zaqueu, posto na presença do Senhor, disse-lhe: Senhor, eu estou para dar aos pobres metade dos meus bens, e naquilo em que eu tiver defraudado alguém, pagar-lho-ei quadruplicado. Sobre o que Jesus lhe disse: Hoje entrou a salvação nesta casa, porque este também é filho de Abraão. Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que tinha perecido. (Lucas, XIX: 1-10)

 

REFLEXÕES:  O publicano Zaqueu, era bem conhecido na cidade de Jericó, mas, nem por isso, benquisto. Seu ganha-pão (cobrar impostos) causava repulsa em seus conterrâneos, o que provavelmente o relegava a um ambiente de isolamento social, ainda que tivesse feito uma boa fortuna. Tanto que, quando Jesus resolveu se hospedar em sua casa, a murmuração tomou conta das ruas: como Jesus poderia se engajar em comunhão com um maldito cobrador de impostos?

Podemos ressaltar algumas lições a partir desse texto:

1 - Não interessa o tamanho da multidão, Jesus nos vê e nos conhece. A multidão que acompanhava Jesus era grande e aumentava, Entretanto, Jesus “acha” Zaqueu em cima da árvore e o chama pelo nome, evidenciando saber sobre vida daquele homem ao se convidar para ficar hospedado em sua casa. O mesmo acontece conosco. Jesus sabe quem somos, o que fizemos e que fazemos. Ele sabe os detalhes mais íntimos do nosso coração e, mesmo assim, nos busca em meio à multidão.

2 - Não interessa o que os outros achem de você, para Jesus, você é alvo de seu amor. A profissão de Zaqueu fazia dele uma pessoa desprezada, evitada por todos, mas não para Jesus. Pelo contrário, o Senhor vai em sua direção, não com palavras de desprezo, mas de vida eterna. Da mesma forma, quem você acha que é ou a maneira como as pessoas costumam lhe tratar não lhe definem diante de Jesus. 

3 - Quando conhecemos a Cristo, até as trevas se tornam algo para abençoar. Zaqueu tenha aceitado ser um cobrador de impostos por ganância, mas, depois da ilustre visita, o seu dinheiro passou a ser um instrumento de bênção, especialmente aos mais pobres.

Além da lição da caridade e do desprendimento, essa passagem nos mostra também a importância do dividir. Edgard Armond dizia que o verdadeiro discípulo de Jesus é aquele que não apenas dá o que sobra, mas divide o que tem. É importante dividir não apenas bens materiais, mas tudo o que pudermos compartilhar com o semelhante, no dia a dia: nossas alegrias, nossas expectativas,  enfim, tudo o que se constitui em atributos de caridade moral. Pensemos nisto!

 

PRECE E VIBRAÇÕES - 

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

 

E assim ao encerrarmos nossas reflexões de hoje, com nossos pensamentos harmonizados, vamos orar:

Deus, Pai de Infinita Bondade, sustenta-nos o coração no caminho que nos assinalaste!

Infunde-nos o desejo de ajudar àqueles que nos cercam, dando-lhes das migalhas que possuímos para que a felicidade se multiplique entre nós.

Dai-nos forças para lutar pela nossa própria regeneração.

Auxilia-nos a conter as nossas fraquezas, para que não venhamos a cair em tentações.

Pai não permita que a alegria nos enfraqueça e nem permitas que a dor nos sufoque a ponto de não te reconhecermos.

Ensina-nos a reconhecer Tua Bondade em todos os acontecimentos e em todas as coisas que nos cercam.

Nos dias em que estejamos aflitos, auxilia-nos a contemplar Tua Luz através de nossas lágrimas e nas horas de reconforto auxilia-nos a estender Tuas Bênçãos aos nossos semelhantes.

Dá-nos paciência no trabalho, compreensão para com as necessidades de nossos irmãos e amor por todos aqueles que ainda não nos compreendem.

Ajuda-nos a compreender Tua vontade seja como for, onde estivermos, a fim de que saibamos servir em Teu nome e para que sejamos filhos dignos de teu infinito amor.

Seja Senhor sempre nossa companhia e permita que os benfeitores espirituais que nos assistem neste momento, fluidifiquem nossas águas, higienizem nossos lares, deixando em cada canto e recanto vibrações de paz, harmonia, saúde, bem estar e amor.

Que assim seja, hoje e sempre.

Obrigada Senhor.

 

Paz e Bem!

comments powered by Disqus