Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Disponibilizamos o Estudo todas as segundas-feiras, a partir das 12hs.

Centro Espírita Francisco de Assis - Depto do Evangelho no Lar. - segunda-feira, 4 de maio de 2015

HORA DO EVANGELHO NO LAR


“Só é verdadeiramente grande aquele que, considerando a vida como uma viagem que tem um destino certo, não se incomoda com as asperezas do caminho, não se deixa desviar nem por um instante da rota certa.(ESE-Cap.XII)


PRECE

Vamos elevando nossa mente, nossos pensamentos e emoções a Jesus, nosso Mestre, pedindo que nos auxilie a exercermos a compaixão e o entendimento, que nos ensine a esquecer o mal e a cultivar o bem, na paciência e na tolerância de uns para com os outros. Que possamos ter mais humildade, para sermos sempre dóceis instrumentos caridade. Que Teu amparo esteja sempre em nossos dias, para que com ele saibamos colocar em ação o amor que nos deste.
Agradecemos Mestre Amado o privilégio do trabalho no bem e do estudo edificante.
Assim, em teu nome, iniciamos os estudos de hoje. Esteja conosco hoje e sempre.
Que assim seja!

MENSAGEM INICIAL

Conflito

Antigamente, o duelo surgia por hábito deplorável, desfigurando o caráter e enodoando a cultura.
Empenhavam-se antagonista, com a presença de testemunhas, em golpes violentos, legalizando o homicídio em nome da honra.
O progresso aboliu semelhante nódoa de nossa face, todavia, o conflito continua em outras modalidades, a dentro de nossa vida.
Não mais a característica fulminante, dos apetrechos de matar ou ferir, mas o golpe em câmara lenta que o ódio e a incompreensão, a ignorância e a crueldade arremessam por onde passam, gerando perturbações e enfermidade.
Por toda parte, vemos o duelo mental torturando e aniquilando criaturas, mantido por nossas atitudes delituosas de uns para com os outros, quando não se exprime, sem forma perceptível aos sentidos comuns, à feição da troca de dardos invisíveis, penetrando corações, arrojando-os, muitas vezes, aos tormentos do hospício ou à vala da morte.
Fujamos de toda ideia que signifique discórdia e maledicência, ciúme e desespero, maldade e intolerância, porquanto, as imagens desse teor, a fluirem constantes de nossa fonte mental, possuem vitalidade própria, corporificando-se com a persistência de nossas irreflexões repetidas e atingindo o objetivo de nossas projeções, a operarem desajuste e flagelação regressando a nós mesmos, em lamentável retorno, trazendo-nos de volta, a aflição e o infortúnio que tivermos causado.
O amor é Lei Universal, mas a Justiça nos segue, serena e inexorável, para que todos nós tenhamos no caminho o justo pagamento de nossas próprias obras.

Emmanuel - Psicografia de Chico Xavier. Do livro: Viajor

LEITURA DO EVANGELHO

Cap. 12 – AMAI OS VOSSOS INIMIGOS.
I – O Duelo – item 11.


ADOLFO
Bispo de Alger, Marmande, 1861

11 – Só é verdadeiramente grande aquele que, considerando a vida como uma viagem que tem um destino certo, não se incomoda com as asperezas do caminho, não se deixa desviar nem por um instante da rota certa. De olhos fixos no seu objetivo, pouco se importa de que os obstáculos e os espinhos da senda o ameacem; estes apenas o roçam, sem o ferirem, e não o impedem de avançar. Arriscar os dias para vingar uma ofensa é recuar diante das provas da vida; é sempre um crime aos olhos de Deus; e, se não estivésseis tão enleados, como estais, nos vossos preconceitos, seria também uma ridícula e suprema loucura aos olhos dos homens.
É criminoso o homicídio por duelo, o que a vossa própria legislação reconhece. Ninguém tem o direito, em caso algum de atentar contar a vida de seu semelhante. Isso é um crime aos olhos de Deus, que vos determinou a linha de conduta. Nisto, mais que em qualquer outra coisa, sois juízes em causa própria. Lembrai-vos de que vos será perdoado segundo tiverdes perdoado. Pelo perdão vos aproximais da Divindade, porque a clemência é irmã do poder. Enquanto uma gota de sangue correr na Terra pelas mãos dos homens, o verdadeiro Reino de Deus ainda não terá chegado, esse reino de pacificação e de amor, que deve banir para sempre do vosso globo a animosidade, a discórdia e a guerra. Então, a palavra duelo não mais existirá na vossa língua, senão como uma longínqua e vaga recordação do passado: os homens não admitirão entre eles outro antagonismo, que a nobre rivalidade do bem.
*
SANTO AGOSTINHO
Paris, 1862
12 – O duelo pode, sem dúvida, em certos casos, ser uma prova de coragem física, de menosprezo pela vida, mas é incontestavelmente uma prova de covardia moral, como o suicídio. O suicida não tem coragem de enfrentar as vicissitudes da vida: o duelista não a tem para suportar as ofensas. Cristo não vos disse que há mais honra e coragem em oferecer a face esquerda a quem vos feriu a direita, do que em se vingar de uma injúria? Cristo não disse a Pedro, no Jardim das Oliveiras: “Embainhai de novo a vossa espada, pois aquele que mata pela espada perecerá pela espada?” Por essas palavras, Jesus não condenou o duelo para sempre? Com efeito, meus filhos, que coragem é essa, que brota de um temperamento violento, pletórico e furioso, bramindo à primeira ofensa? Onde está a grandeza de alma daquele que, à menor injúria, quer lavá-la em sangue? Mas que trema, porque sempre, do fundo da sua consciência, uma voz lhe gritará: Caim! Caim! Que fizeste de teu irmão? Ele responderá: Foi necessário o sangue para salvar minha honra! Mas a voz replicará: Quiseste salvá-la perante os homens nos breves instantes que te restavam na Terra, e não pensaste em salvá-la perante Deus! Pobre louco, que não vos pediria então o Cristo, por todos os ultrajes que lhe tendes feito? Não somente o feristes com os espinhos e a lança, não somente o erguestes num madeiro infamante, mas ainda, em meio de sua agonia, pode ele ouvir as zombarias que lhe prodigalizastes. Que reparações vos pediu ele, depois de tantos ultrajes? O último gemido do cordeiro foi uma prece pelos seus algozes. Oh, como ele, perdoai e orai pelos que vos ofendem!
Amigos, lembrai-vos deste preceito: Amai-vos uns aos outros, e então, ao golpe do ódio respondereis com um sorriso, e ao ultraje com o perdão. O mundo sem dúvida se erguerá furioso e vos chamará de covarde: erguei a fronte bem alta e mostrai, então, que a vossa fronte também não recearia ser coroada de espinhos, a exemplo do Cristo, mas que a vossa mão não quer participar de um assassinato autorizado, podemos dizer, por uma falsa aparência de honra, que nada mais é senão orgulho e amor próprio. Ao vos criar, Deus vos deu o direito de vida e de morte, uns sobre os outros? Não, pois só deu esse direito à natureza, para se reformar e se refazer. Mas a vós, nem sequer permitiu dispordes de vós mesmos. Como o suicida, o duelista estará marcado de sangue quando comparecer perante Deus, e a um como a outro, o soberano Juiz reserva rudes e longos castigos. Se ameaçou com a sua justiça àqueles que dizem racca a seus irmãos, quanto mais severa não será a pena reservada àquele que comparecer diante dele com as mãos sujas do sangue de um irmão!

Faça aqui suas reflexões sobre a lição estudada



VIBRAÇÕES

"Porque onde estiverem reunidos em meu nome,
lá estarei presente."
Jesus. (MATEUS, 18:20.)

Após a leitura e os comentários da lição de hoje, vamos iniciar nossas vibrações. De coração aberto, desejamos irradiar amor a todos os nossos irmãos, especialmente para aqueles que procuram amparo e conforto espiritual. Que neste momentos possamos nos tornar um foco transbordante de amor e paz a irradiar em todas as direções, fazendo vibrar nos corações oprimidos o reconforto, a amorosidade, a compreensão, a paz e o equilíbrio.
Vamos vibrar:
- pela paz universal
- pelo nosso Brasil, por nosso Estado e por nossa cidade.
- pelos espíritos que reencarnam com missões definidas.
- pelos doentes do corpo e da alma, que se encontram internados, nas ruas, em albergues ou em seus lares.
- pelos idosos que estão em asilos, casas de repousos, solitários e desamparados dos familiares.
- por todas as vítimas do terremoto no Nepal e por todos aqueles que neste momento estão em situações aflitivas, doloridas e de difícil solução.
- por todos os jovens e por todas as crianças.
- por todas as casas que propagam o Evangelho de Jesus, por nossa Casa também e por todos os seus colaboradores e assistidos.
- por todos os nossos amigos e por aqueles que se colocam como nossos inimigos, que eles encontrem a liberdade e a paz.
- por todos os lares da terra, para que haja harmonia e paz entre os familiares.
- Vamos deixando uma suave vibração amorosa para que seja utilizada pela equipe espiritual, nos casos mais necessitados.
- por fim, pedimos permissão para vibrarmos por nós mesmos, para que possamos ter sempre força e coragem para vencermos nossas próprias imperfeições e continuarmos perseverantes na fé, no amor e no caminho do bem para evoluirmos moral e espiritualmente.
Assim seja...


PRECE FINAL

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia."
[Emmanuel / Chico Xavier]


E assim, Mestre Jesus, estamos chegando ao final dos estudos de hoje e ainda queremos Te pedir para que nossas águas sejam fluidificadas, que nelas possam ser depositados os fluidos divinos que reequilibram nosso corpo físico, espiritual e mental.
Obrigado Senhor, por todas as graças que nos foram enviadas neste momento de estudo e de preces; obrigado Mestre Jesus, pelos Teus mensageiros de Luz que nos auxiliaram o entendimento e que orientam sempre os nossos caminhos; obrigado por ter-nos ensinado que através da prece recebemos o alimento necessário para a nossa sobrevivência espiritual. Deixamos um agradecimento especial aos nossos Mentores e Protetores, por todo o bem que nos tem feito e nosso pedido a Jesus para que os ilumine cada dia mais e que juntos, um dia, possamos Te agradecer. E assim, Mestre Amado, em Teu nome encerramos os estudos de hoje. Esteja sempre conosco,
Que assim seja.

 

TENHAM UMA LINDA E ABENÇOADA SEMANA!!!

Recebam nosso abraço fraterno.

comments powered by Disqus