Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Cap. XI - Amar ao Próximo como a si mesmo - Instr. Esp.: A FÉ E A CARIDADE – item 12 - 24/9/2018

HORA DO EVANGELHO NO LAR - segunda-feira, 24 de setembro de 2018

HORA DO EVANGELHO NO LAR


"Eu vos disse recentemente, meus queridos filhos, que a caridade sem a fé não seria suficiente para manter entre os homens uma ordem social de fazê-los felizes. Devia ter dito que a caridade é impossível sem a fé. (ESE – cap. XI – item 13)"

 

PRECE INICIAL

Que a Paz de Jesus permeie nossos corações hoje e sempre.

Mestre Jesus que conheceis todas as nossas imperfeições e que nos ama intensamente, rogamos: auxiliai-nos a compreender as leis divinas, auxilia-nos a compreender o Teu Evangelho de Luz, ensina-nos a aplicá-lo em nossas vidas, afim de que sejamos cada dia melhores do que fomos ontem. Auxilia-nos Mestre a reconhecermos nossas próprias fragilidades e reconhecendo-as, permita que possamos através do conhecimento das Leis Divinas, corrigi-los em nós. Mestre Jesus, dê-nos sempre força e coragem para exercermos a humildade e assim, reconhecermos o caminho que nos leva a Ti, o caminho da persistência, o caminho da fé e da caridade.

Esteja sempre conosco Mestre Jesus e que assim seja.

 

MENSAGEM INICIAL

FÉ E CARIDADE

Fé sem caridade é a lâmpada sem o reservatório da força.
Caridade sem fé representa a usina sem a lâmpada.
Quem confia em Deus e não ajuda aos semelhantes recolhe-se na contemplação improdutiva à maneira de peça valiosa, 
mumificada em museu brilhante.
Quem pretende ajudar ao próximo, sem confiança em Deus, condena-se à secura, perdendo o contato com o suprimento
da energia divina.
A fé constitui nosso patrimônio intimo de bênçãos.
A caridade é o canal que as espalha, enriquecendo-nos o caminho.
Uma confere-nos visão, a outra intensifica-nos o crescimento espiritual para a Eternidade.
Sem a primeira, caminharíamos nas sombras.
Sem a segunda, permaneceríamos relegados ao poço escuro do nosso egoísmo destruidor.
Jesus foi o protótipo da fé, quando afirmou: – Eu e meu Pai somos Um. E o nosso Divino Mestre foi ainda o paradigma da caridade quando nos ensinou: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.
Desse modo, se somos efetivamente os aprendizes do Evangelho Redivivo, unamos o ideal superior e a ação edificante, em nossos sentimentos e atos de cada dia, e busquemos fundir numa só luz renovadora a fé e a caridade, em nossos corações, desde hoje.

XAVIER, Francisco Cândido. Escrínio de Luz. Pelo Espírito Emmanuel. Lição 126.

 

LEITURA DO EVANGELHO

CAPÍTULO XI – AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO

Instruções dos Espíritos: A FÉ E A CARIDADE – item 13

UM ESPÍRITO PROTETOR, Cracóvia, 1861.

13 – Eu vos disse recentemente, meus queridos filhos, que a caridade sem a fé não seria suficiente para manter entre os homens uma ordem social de fazê-los felizes. Devia ter dito que a caridade é impossível sem a fé. Podereis encontrar, é verdade, impulsos generosos entre as pessoas sem religião. Mas essa caridade austera, que só pode ser exercida pela abnegação, pelo sacrifício constante de todo o interesse egoísta, nada a não ser a fé poderá inspirá-la, porque nada além dela nos faz carregar com coragem e perseverança a cruz desta vida.

Sim, meus filhos, é inútil querer o homem, ávido de prazeres, iludir-se quanto ao seu destino terreno, pretendendo que lhe seja permitido ocupar-se apenas da sua felicidade. Certo que Deus nos criou para sermos felizes na eternidade, mas a vida terrena deve servir unicamente para o nosso aperfeiçoamento moral, o qual se conquista mais facilmente com a ajuda do corpo e do mundo material. Sem contar as vicissitudes comuns da vida, a diversidade de vossos gostos, de vossas tendências, de vossas necessidades, são também um meio de vos aperfeiçoardes, exercitando-vos na caridade. Porque somente a custa de concessões e de sacrifícios mútuos, é que podeis manter a harmonia entre elementos tão diversos.

Tendes razão, entretanto, ao afirmar que a felicidade está reservada ao homem neste mundo, se a procurardes antes na prática do bem do que nos prazeres materiais. A história da cristandade nos fala dos mártires que caminhavam com alegria para o suplício. Hoje, na vossa sociedade, para ser cristão já não se precisa enfrentar a fogueira do mártir, nem o sacrifício da vida, mas única e simplesmente o sacrifício do egoísmo, do orgulho e da vaidade. Triunfareis, se a caridade vos inspirar e fordes sustentados pela fé.

 

REFLEXÕES:  A fé consciente, inabalável, leva o homem a compreender a transitoriedade da vida na Terra, dando, aos valores materiais, a importância relativa que eles têm para o Espírito imortal, não se prendendo a eles, mas buscando usá-los em favor de outros, a fim de suavizar os sofrimentos alheios e a caridade, a que o Espírito Protetor se refere, é a do amor em ação, ou seja, é aquela que leva o homem à renúncia de si mesmo em favor de outros; aquela, exercida com abnegação, com dedicação, colocando as necessidades alheias acima das suas; aquela que sacrifica todo o interesse do egoísmo, do orgulho e da vaidade para pensar nos interesses alheios; aquela que leva o homem a esquecer-se de si para lembrar-se de outros.

São Paulo, quando nos fala das Virtudes, cita a Fé e a Caridade, dizendo: “Ainda que eu tenha a Fé possível, até o ponto de transportar montanhas, se eu não tiver Caridade, eu nada sou.”

Reflitamos, a absoluta necessidade de cultivarmos simultaneamente essas duas virtudes em nós: a Fé e a Caridade. As duas, juntas, funcionam. Isoladas, elas não conseguem tirar o homem da triste condição de um pássaro de uma só asa, que não conhece a maravilha de voar. 

 

 VIBRAÇÕES E PRECE FINAL

 "Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

E assim, agradecendo a Jesus por mais esta oportunidade vamos encerrando nossas reflexões, envolvidos pelas doces vibrações do Mestre e dos Benfeitores Espirituais que nos assistem e, unindo nossos corações e intensificando nossos melhores sentimentos, vamos nos doar em favor de nossos irmãos.

Ninguém é tão fraco, que não tenha nada para oferecer e ninguém é tão forte, que não tenha nada a receber.

Vibremos meus irmãos pelo planeta, por nosso orbe para que não falte alimento em nossas mesas, nem água em nossos dias.

Vibremos por nossa Pátria, por todos os países, por nosso estado, por nossa cidade, por todos os povos, nossos irmãos, para que a Paz se estabeleça;

Vibremos por todos aqueles que neste momento encontram-se doentes do corpo e do espírito, que estão em sofrimento nos lares, nos abrigos, nas ruas ou nos hospitais; por nossos jovens, por todas as nossas crianças, para que não lhes faltem a proteção e amparo.

Vibremos por todos os lares da terra, para que tenham sempre harmonia e amor; por todos os nossos irmãos que buscam alívio e amparo para suas dores e necessidades, que sejam sempre amparados e que obtenham o alivio para suas dores e necessidades.

Rogamos Senhor, abençoe nossa Casa Espírita e todos os seus colaboradores e assistidos. Abençoe nossos familiares e amigos e especialmente por aqueles que se consideram nossos inimigos.

Abençoe Senhor, a todos nós que aqui estamos estudando e refletindo sobre o Teu Evangelho de Luz, que tenhamos sempre força e bom ânimo em nossa caminhada. Que as reflexões sobre Teu Evangelho de Luz possam estar sempre em nossas mente, trazendo-nos renovação de pensamentos, de atitudes e nos fazendo enxergar que somente levaremos desta vida os valores que penetram e transformam nossos Espíritos.

Mestre Amado, pedimos ainda, que continue a nos presentear com Teu amor renovador e que todos aqui recebam, através de nossas águas, os medicamentos necessários para nossas dores físicas, espirituais, morais, mentais e para nossas aflições.

Agradecemos-te Mestre Jesus, por permitir que Teus Ensinamentos cheguem até nós; por nos dar a esperança de que um dia também poderemos atingir a Tua perfeição; pelo Teu amor infinito e dedicação com que nos cuida, ampara e consola.

Permaneça conosco Senhor e que assim seja.

 

Paz e Bem.

comments powered by Disqus