Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Cap. XI - Amar ao Próximo como a Si Mesmo – O Maior Mandamento - itens 01/01 - 27/08/2018

HORA DO EVANGELHO NO LAR - segunda-feira, 27 de agosto de 2018

HORA DO EVANGELHO NO LAR


“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este é o maior primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas”  (Mateus, XXII: 34-40).

 

PRECE INICIAL

Que a Paz de Jesus permeie nossos corações hoje e sempre.

Jesus amigo, Mestre de todas as horas, mais uma vez estamos aqui reunidos em Teu nome e queremos pedir-te que nos abençoe e orienta-nos em nossos estudos de hoje.

Que todos os companheiros, participantes, sejam amparados e fortalecidos e que sejamos envolvidos e inspirados pelo Teu Amor, Mestre Jesus.
Que em Teu nome, em nome da espiritualidade amiga que coordena esta tarefa, mas, sobretudo em nome de Deus, Nosso Pai, iniciamos o Estudo de hoje.
Permaneça conosco Senhor, por hoje, amanhã e sempre.

“Pai Nosso que estais nos céus...”

Que assim seja!

 

MENSAGEM INICIAL

O Próximo e Nós

Esperas ansiosamente encontrar o Senhor e um dia chegarás à Divina Presença, entretanto, antes de tudo, a vida te encaminha à presença do próximo, porque o próximo é sempre o degrau da bendita aproximação.

Mas quem é o meu próximo? - perguntarás decerto, qual ocorreu ao Doutor da Lei nas luzes da parábola.

Todavia, convém saber que, além do próximo mais próximo a quem nomeias como sendo o coração materno, o pai querido, o filho de nossa bênção, o irmão estimável e o amigo íntimo, no clima doméstico, o próximo é igualmente o homem que nunca vista, tanto aquele que te fixa indiferente em qualquer canto da rua. 

É a criança que passa, o chefe que te exige trabalho, o subordinado que te obedece, o sócio de ideal, o mendigo que te fala a distância.

É a pessoa que te impõe um problema, verificando-te a capacidade de auxílio; é quem te calunia, medindo-te a tolerância; quem te oferece alegria, anotando-te o equilíbrio; é a criatura que te induz à tentação, testando-te a resistência... É o companheiro que te solicita concurso fraterno, tanto quanto o inimigo que se sente incapaz de pedir-te o mais ligeiro favor.

Às vezes tem um nome familiar que te soa docemente aos ouvidos; de outras, é categorizado por ti à conta de adversário, que não te aprova o modo de ser. Em suma, o próximo é sempre o inspetor da vida que nos examina a posição da alma nos assuntos da Vida Eterna. 

Entre ele e nós se destacam sempre a necessidade e a oportunidade a que se referia Jesus na parábola inesquecível.

Isto porque o Bom Samaritano foi efetivamente o socorro para o irmão caído na estrada de Jerusalém para Jericó, mas o irmão tombado no caminho de Jerusalém para Jericó foi para o Bom Samaritano, o ponto de apoio para mais um degrau de avanço, no caminho para o encontro com Deus.

Do livro “Rumo Certo”, Emmanuel/ Chico Xavier

 

LEITURA DO EVANGELHO

CAPÍTULO XI – AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO

O Maior Mandamento – itens 01 a 04

1 – Mas os fariseus, quando ouviram que Jesus tinha feito calar a boca dos saduceus, juntaram-se em conselho. E um deles, que era doutor da lei, tentando-o, perguntou-lhe: Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Jesus lhe disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este é o maior primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas. (Mateus, XXII: 34-40).

2 – E assim, tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós a eles. Porque esta é a lei e os profetas. (Mateus, 7: 12).

Tratai todos os homens como quereríeis que eles vos tratassem. (Lucas, VI: 31)

3 – O Reino dos Céus é comparado a um rei que quis tomar contas a seus servos. E tendo começado a tomar as contas, apresentou-lhe um que lhe devia dez mil talentos. E como não tivesse com que pagar, mandou o seu senhor que o vendessem a ele, e a sua mulher, e a seus filhos, e tudo o que tinha, para ficar pago da dívida. Porém o tal servo, lançando-se aos pés, fazia-lhe esta súplica: Tem paciência comigo, que eu te pagarei tudo. Então o senhor, compadecido daquele servo, deixou-o ir livre, e perdoou-lhe a dívida. E tendo saído este servo, encontrou um de seus companheiros, que lhe devia cem dinheiros; e lançando-lhe a mão à garganta o asfixiava, dizendo-lhe: Paga-me o que deves. E o companheiro, lançando-se aos pés, rogava, dizendo: Tem paciência comigo, que eu te satisfarei tudo. Porém ele não atendeu: retirou-se, e fez que o metessem na cadeia, até pagar a dívida. Porém, os outros servos, seus companheiros, vendo o que se passava, sentiram-no fortemente e foram dar parte a seu senhor de tudo o que tinha acontecido. Então o fez vir seu senhor, e lhe disse: Servo mau, eu te perdoei a dívida toda, porque me vieste rogar isso; não devias tu, logo, compadecer-te igualmente do teu companheiro, assim como também eu me compadeci de ti? E, cheio de cólera, mandou seu senhor que o entregassem aos algozes, até pagar toda a dívida. Assim também vos tratará meu Pai celestial, se não perdoardes, do íntimo de vossos corações, aquilo que vos tenha feito vosso irmão. (Mateus, XVIII: 23-35).

 4 – “Amar ao próximo como a si mesmo; fazer aos outros como quereríamos que nos fizessem”, eis a expressão mais completa da caridade, porque ela resume todos os deveres para com o próximo. Não se pode ter, neste caso, guia mais seguro, do que tomando como medida do que se deve fazer aos outros, o que se deseja para si mesmo. Com que direito exigiríamos de nossos semelhantes melhor tratamento, mais indulgência, benevolência e devotamento, do que lhes damos? A prática dessas máximas leva à destruição do egoísmo. Quando os homens as tomarem como normas de conduta e como base de suas instituições, compreenderão a verdadeira fraternidade, e farão reinar a paz e a justiça entre eles. Não haverá mais ódios nem dissensões, mas união, concórdia e mútua benevolência.

 

REFLEXÕES : Como é amar a Deus? Será que amá-Lo basta louvar-Lhe a existência? Orar, estar em comunicação com Ele será suficiente? Como podemos expressar esse amor? Amá-Lo é amar a Sua obra. Respeitar a natureza, os seres dos reinos animal e vegetal, todas as criaturas de Deus. Termos cuidados com as águas e suas nascentes, com o lixo que geramos, com a poluição que fomentamos, também é amar a Deus.

Amar a Deus também é amar ao próximo. E, amar ao próximo é oferecer uma melhoria, no nível de sentimentos que temos por ele. É minimizar o ódio para gradativamente ir substituindo-o pelo sentimento de amor. Amar a quem desprezamos, é observá-lo melhor, constatar seus valores para tê-lo em consideração. Amar ao próximo é a expressão mais completa da caridade, porque ela resume todos os deveres para com o próximo”. São pequenos esforços, que constituem exercícios de tolerância, de indulgência, de benevolência, de perdão. E, para amar ao próximo é necessário amar a si mesmo.

Mas, o que é amar-se? Jesus nos orienta a termos por nós o amor compreensão, o amor aceitação, o amor entendimento, o amor perdão. Não se referia Ele a esse amor egoísta, narcisista, egocêntrico. Convida-nos Jesus a nos aceitarmos com todas as nossas limitações e nos alegrarmos com nossas conquistas.

É assim que, exercitando o amor a Deus, ao próximo e a nós mesmos, estaremos aprendendo a mais profunda lição que Deus espera de cada um de nós. Estaremos cumprindo o maior dos mandamentos.*

 

 VIBRAÇÕES E PRECE FINAL

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

Vamos então, envolvidos pelas doces vibrações do Mestre e dos Benfeitores Espirituais que nos assistem, agradecer a Jesus por mais esta oportunidade. Vamos unindo nossos corações e intensificando nossos melhores sentimentos e vamos nos doar em favor de nossos irmãos.

Ninguém é tão fraco, que não tenha nada para oferecer e ninguém é tão forte, que não tenha nada a receber.

Vibremos meus irmãos pelo planeta, por nosso orbe para que não falte alimento em nossas mesas, nem água em nossos dias.

Vibremos por nossa Pátria, por todos os países, por nosso estado, por nossa cidade, por todos os povos, nossos irmãos, para que a Paz se estabeleça;

Vibremos e oremos por todos aqueles que neste momento encontram-se doentes do corpo e do espírito, que estão em sofrimento nos lares, em abrigos, nas ruas ou nos hospitais;

por nossos jovens, por todas as nossas crianças, para que não lhes faltem a proteção e o encaminhamento na estrada do bem.

Vibremos por todos os lares da terra, para que tenham sempre harmonia e amor, pelo nosso também;

Vibremos por todos os nossos irmãos que buscam alívio e amparo para suas dores e necessidades, que sejam amparados e que obtenham, através da Misericórdia Divina, o alivio para suas dores e necessidades.

Abençoe Senhor, nossa Casa Espírita e todos os seus colaboradores e assistidos.

Abençoe Senhor, nossos familiares e amigos, especialmente aqueles que se consideram nossos inimigos.

Abençoe Senhor a todos aqueles que partiram deste mundo, que possam através de seus incansáveis trabalhadores obterem esclarecimentos e terem a aceitação de sua nova condição;

Finalmente pedimos por todos nós Senhor, que aqui estamos estudando e refletindo sobre o Teu Evangelho de Luz, roteiro de nossas vidas, que possamos receber sempre as gotas do orvalho de Teu amor.

Obrigada Jesus, por permitir que Teus Ensinamentos cheguem até nós; por nos dar a esperança de que um dia também poderemos atingirmos a Tua perfeição; pelo Teu amor infinito e pela dedicação com que nos cuida, ampara e consola.

Mestre Amado, rogamos que, através da fluidificação de nossas águas, possamos receber os medicamentos que necessitamos para nossas dores físicas, espirituais, morais, mentais e para nossas aflições.

Que as reflexões de hoje penetre em nossos corações, trazendo-nos renovação de pensamentos, de atitudes, fazendo-nos enxergar que somente levaremos desta vida os valores que transformam nossos Espíritos.

Que assim seja.

Graças a Deus, Graças a Jesus.

 

Paz e Bem.

 

 

 

* (Fragmentos da Redação do Momento Espírita.)

 

comments powered by Disqus