Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Cap. VI - O CRISTO CONSOLADOR - O CONSOLADOR PROMETIDO - itens 03 e 04

HORA DO EVANGELHO NO LAR - segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

HORA DO EVANGELHO NO LAR  

“Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre.” –(João, 14:15-16)

 

 PRECE

Que a Paz de Jesus esteja entre nós. Vamos orar.

Jesus, Mestre Querido, que disseste: “onde dois ou mais estiverem reunidos em seu nome, eu aí estarei” - esteja conosco neste dia para que possamos melhor compreender vosso ensinamento, nos edificando e nos melhorando conforme nossas necessidades.
Que Suas palavras se revitalizem em nossa consciência para que em Teu exemplo e com Teus ensinamentos possamos caminhar fortalecidos rumo a nossa evolução espiritual.
Que neste momento em que nos reunimos para o estudo do Teu Evangelho de Luz, possamos, com Tua Permissão, termos a presença de nossos protetores espirituais, para nos auxiliar no entendimento e compreensão do Evangelho de hoje.

Assim em Teu nome, em nome de 
Francisco de Assis, dos benfeitores espirituais, mas acima de tudo em nome de Deus, nosso Pai, iniciamos os estudos de hoje.

Permaneça conosco, Senhor, agora e sempre.

Que assim seja, graças a Deus, graças a Jesus.

 

LEITURA INICIAL 

Cristãos sem Cristo


Reverencia o Divino Mestre, com todas as forças da alma, entretanto, não menosprezes honrá-lo na pessoa dos semelhantes.

Guarda-lhe as memórias entre flores de carinho, mas estende os braços aos que clamam por ele, entre os espinhos da aflição.

Esculpe-lhe as reminiscências nas obras-primas da estatuária, sem qualquer intuito de idolatria, satisfazendo aos ideais de perfeição que a beleza te arranca aos sonhos de arte, no entanto, socorre, pensando nele, os que passam diante de ti, retalhados pelo cinzel oculto do sofrimento.

Imagina-lhe o semblante aureolado de amor, ao fixá-lo nas telas em que se te corporifiquem os anseios de luz, mas suaviza o infortúnio dos que esperam por ele, nos quadros vivos da angústia humana.

Proclama-lhe a glória invencível no verbo eloquente, mas deixa que a sinceridade e a brandura te brilhem na boca, serenando, em seu nome, os corações atormentados que duvidam e se perturbam entre as sombras da Terra.

Grava-lhe os ensinamentos inesquecíveis, movimentando a pena que te configura as luminosas inspirações, no entanto, assinala as diretrizes dele com a energia renovadora dos teus próprios exemplos.

Dedica-lhe os cânticos de fidelidade e louvor que te nascem da gratidão, mas ouve os apelos dos que jazem detidos nas trevas, suplicando-lhe liberdade e esperança.

Busca-lhe a presença, no culto da prece, rogando-lhe apoio e consolação, no entanto, oferece-lhe mãos operosas no auxílio aos que varam o escuro labirinto da agonia moral, para os quais essa ou aquela ninharia de tuas facilidades constitui novo estímulo à paciência.

Através de numerosas reencarnações, temos sido cristãos sem Cristo.

Conquistadores, não nos pejávamos de implorar-lhe patrocínio aos excessos do furto.

Latifundiários cruéis, não nos envergonhávamos de solicitar-lhe maior numero de escravos que nos atendessem ao despotismo, em clamorosos sistemas de servidão.

Piratas, dobrávamos insensatamente os joelhos para agradecer-lhe a presa fácil.

Guerreiros, impetrávamos dele, em absoluta insanidade, nos inspirasse o melhor modo de oprimir.

Agora que a Doutrina Espírita no-lo revela, por mentor claro e direto da alma, ensinando-nos a responsabilidade de viver, é imperioso saibamos dignificá-lo na própria consciência, acima de demonstrações exteriores, procurando refleti-lo em nós mesmos.

Entretanto, para, que isso aconteça, é preciso, antes de tudo, matricular o raciocínio na escola da caridade, que será sempre a mestra sublime do coração.

Do Livro da Esperança, obra ditada por Emmanuel e psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier.

 

LEITURA DO EVANGELHO 

Capítulo VI – O CRISTO CONSOLADOR

Consolador Prometido – itens 03 e 04

3 – Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito da Verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece. Mas vós o conhecereis, porque ele ficará convosco e estará em vós. – Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. (João, XIV: 15 a 17 e 26)

4 – Jesus promete outro consolador: é o Espírito da Verdade, que o mundo ainda não conhece, pois que não está suficientemente maduro para compreendê-lo, e que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para fazer lembrar o que Cristo disse. Se, pois, o Espírito da Verdade deve vir mais tarde, ensinar todas as coisas, é que o Cristo não pode dizer tudo. Se ele vem fazer lembrar o que o Cristo disse, é que o seu ensino foi esquecido ou mal compreendido.

O Espiritismo vem, no tempo assinalado, cumprir a promessa do Cristo: o Espírito da Verdade preside ao seu estabelecimento. Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas, fazendo compreender o que o Cristo só disse em parábolas. O Cristo disse: “que ouçam os que têm ouvidos para ouvir”. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porque ele fala sem figuras e alegorias. Levanta o véu propositalmente lançado sobre certos mistérios, e vem, por fim, trazer uma suprema consolação aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, ao dar uma causa justa e um objetivo útil a todas as dores.

Disse o Cristo: “Bem-aventurados os aflitos, porque eles serão consolados”. Mas como se pode ser feliz por sofrer, se não se sabe por que se sofre?

O Espiritismo revela que a causa está nas existências anteriores e na própria destinação da Terra, onde o homem expia o seu passado. Revela também o objetivo, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são a purificação que assegura a felicidade nas existências futuras. O homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento. Sabe que esse sofrimento auxilia o seu adiantamento, e o aceita sem queixas, como o trabalhador aceita o serviço que lhe assegura o salário. O Espiritismo lhe dá uma fé inabalável no futuro, e a dúvida pungente não tem mais lugar na sua alma. Fazendo-o ver as coisas do alto, a importância das vicissitudes terrenas se perde no vasto e esplêndido horizonte que ele abarca, e a perspectiva da felicidade que o espera lhe dá a paciência, a resignação e a coragem, para ir até o fim do caminho.

Assim realiza o Espiritismo o que Jesus disse do consolador prometido: conhecimento das coisas, que faz o homem saber de onde vem, para onde vai e porque está na Terra, lembrança dos verdadeiros princípios da lei de Deus, e consolação pela fé e pela esperança.

 

REFLEXÕES: Jesus, com suas palavras, se dirigia a humanidade inteira e para todos os tempos, demonstrando como conhecia o futuro e suas necessidades. Sabia que somente o amor a Ele, impulsionaria seus discípulos a prosseguirem na divulgação de seus ensinamentos. Neste Capítulo, Kardec nos apresenta o espiritismo como sendo o Consolador prometido por Jesus, de acordo com as revelações dos Espíritos, com argumentos comprobatórios. Até o advento do Espiritismo, tínhamos duas revelações, a primeira, Moisés que foi para os Judeus o grande profeta, o grande legislador. Foi o que veio para auxiliar na libertação do povo Hebreu e ao mesmo tempo trazer um roteiro norteador, um código de comportamento, de vida. E assim ele trás a Lei mosaica, com duas partes bem distintas: a Lei de Deus e a Lei Civil, disciplinar. A segunda revelação, Jesus Cristo e a Lei do Amor. Jesus vem então, não para destruir a Lei, mas para nos mostrar como vivenciar a lei de Deus, para nos mostrar o verdadeiro sentido do amor, pois a base da doutrina do Cristo é o Amor, o Amor a Deus e ao Próximo.

Mais tarde, a terceira revelação, que é o Espiritismo, não foi nem local e nem pessoal. Foram os Espíritos que a ditaram. Allan Kardec foi apenas o Codificador, o organizador. O Espiritismo é, segundo os próprios Espíritos superiores, o Consolador prometido pelo Cristo. O Espiritismo, como nos diz Kardec, vem abrir os olhos e os ouvidos de toda gente, pois fala sem figuras, nem alegorias, e levanta o véu intencionalmente lançado sobre certos mistérios, trazendo a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem. O espiritismo demonstra como e porquê devemos transformarmo-nos em melhores pessoas, através dessa vivência , sintetizada no amor a Deus acima de todas a coisas e ao próximo como a si mesmo. Ensinos esses, não mais aceitos pela fé cega, mas pela razão e sensibilidade, pela lógica e pelo sentimento, para que o homem possa realizar seu desenvolvimento espiritual. Faz-nos pensar que quanto mais nos esforçarmos para desenvolver o amor dentro de nós, mais felicidade teremos.

  

VIBRAÇÕES E PRECE FINAL

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." (Emmanuel / Chico Xavier)

"Porque onde estiverem reunidos em meu nome, lá estarei presente."  Jesus. (MATEUS, 18:20.)

Mestre Jesus, agradecidos por estes momentos de paz e reflexão, por mais este dia em nossas vidas, pedimos que ampare nosso propósito de servir. De toda nossa alma Te rogamos: Abençoe os que sofrem. Dá a cada sofredor a suavização de suas dores, um bálsamo para suas tristezas, sejam eles encarnados ou desencarnados.

E assim, vibramos inicialmente, pelo nosso Brasil e por todas as nações, por todos os povos para que a Paz e Harmonia se estabeleçam,

Vibramos por nossas crianças, por todos os jovens, pelos idosos, por todos aqueles que estejam enfermos do corpo e do espírito, por todos aqueles que se encontram desempregados, desesperançados, tristes e oprimidos... que sejam, Senhor, envolvidos em vibrações de paz, de energias restauradoras, que recebam o lenitivo para suas dores e que sintam-se revigorados na fé, no amor, e que sejam sempre protegidos e amparados em suas necessidades.

Vibramos Senhor por todos aqueles que levam o Teu Evangelho de Luz a todos os lugares, por todas as casas Espíritas, a nossa também. Que todos tenham sempre força e coragem para a execução de suas tarefas, que sejam envolvidos no amor do Pai.

Vibramos amorosamente por nossos familiares e amigos, e também por todos aqueles que se consideram nossos inimigos. Que possamos Senhor, curar nossas dores da alma, que saibamos amar sem distinção, que possamos nos tornar mais irmãos, reconhecendo a necessidade do perdão, do respeito e do amor ao próximo e sermos abençoados pelo Teu Amor.

Mestre Amado, ao finalizarmos nosso encontro, nós Te pedimos: estenda Tuas Mãos sobre nós, Senhor, para que os pequenos ou os grandes pontos de sofrimento que trazemos em nossos corações e que se chamam amargura, tristeza, raiva, decepção, mágoas... sejam levados para longe, um a um para não mais voltarem...e assim, pouco a pouco nossas emoções se esvaziem das negatividades e passemos a sentir o alivio, a serenidade a nos envolver e a nos preparar para a renovação de nossas energias. Vamos sentimos o calor das Luzes emanadas através das Mãos do Senhor, a nos envolverem e nos proporcionarem conforto e segurança. Pétalas de flores perfumadas e coloridas recaem sobre nós, como uma chuva suave, essas pétalas restauram nossos sentimentos, nossas emoções, nossas energias e nos proporcionam equilíbrio, paz, tranquilidade, serenidade. Através delas, nossas águas são fluidificadas e os nossos ambientes higienizados, perfumados e protegidos, em todos os cantos e recantos.

Mestre Jesus, nós Te agradecemos por este dia, por esta semana que se inicia, pelos momentos de estudo, de reflexão, prece e refazimento.

Obrigada Senhor. Permaneça conosco hoje e sempre.

Que assim seja.

Graças a Deus.

 

Desejamos a todos uma semana abençoada!

Paz e Luz! 

comments powered by Disqus