Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Superiores e Inferiores - Cap. XVII - item 9 - segundas-feiras

Departamento de Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 23 de janeiro de 2017
HORA DO EVANGELHO NO LAR

 

 “Tomai conhecimento dos vossos deveres, e ponde todo o vosso amor em aproximar essa alma de Deus: é essa a missão que vos está confiada e da qual recebereis a recompensa, se a cumprirdes fielmente.”  (ESE – Cap. XIV - item 9).

 

PRECE INICIAL

Queridos irmãos...que Jesus nos abençoe em mais um estudo do evangelho.

Vamos acalmando nossos corações, colocando nossas angustias e nossas aflições nas Mãos Misericordiosas de Jesus e suplicar a Ele que nos ampare, fortaleça e abençoe nossa caminhada rumo à evolução.

Vamos deixando fluir em nossa mente, em nossos sentimentos a Paz que Jesus nos deu e vamos orar:

“Pai de Infinita Bondade, sustenta-nos o coração no caminho que nos assinalaste! Infunde-nos o desejo de ajudar àqueles que nos cercam, dando-lhes das migalhas que possuímos para que a felicidade se multiplique entre nós. Dai-nos a força de lutar pela nossa própria regeneração, nos círculos de trabalho em que fomos situados, por teus sábios desígnios.

Auxilia-nos a conter as nossas próprias fraquezas, para que não venhamos a cair nas trevas, vitimados pela violência.

Ensina-nos a reconhecer tua bondade em todos os acontecimentos e em todas as coisas.

Concede-nos, sobretudo, a graça de compreender a tua vontade seja como for, onde estivermos, a fim de que saibamos servir em teu nome e para que sejamos filhos dignos de teu infinito amor.

Que assim seja!

 

MENSAGEM INICIAL

CARIDADE DO DEVER

De quando a quando, troquemos os grandes conceitos da caridade pelos atos miúdos que lhe confirmem a existência.

Não apenas os fatos de elevado alcance e os gestos heróicos dignos da imprensa.

Beneficência no cotidiano.

Não empurrar os outros na condução coletiva.

Evitar os serviços de última hora, nas instituições de qualquer espécie, aliviando companheiros que precisam do ônibus em horário certo para o retorno à família.

Reprimir o impulso de irritação e falar normalmente com as pessoas que nada têm a ver com os nossos problemas.

Aturar sem tiques de impaciência a conversação do amigo que ainda não aprendeu a sintetizar.

Ouvir, qual se fosse pela primeira vez, um caso recontado pelo vizinho em lapso de memória.

Poupar o trabalho de auxiliares e cooperadores, organizando anotações prévias de encomendas e tarefas por fazer, para que não se convertam em andarilhos por nossa conta.

Desistir de reclamações descabidas diante de colaboradores que não têm culpa das questões que nos induzem à pressa, nas organizações de cujo apoio necessitamos.

Pagar sem delonga o motorista ou a lavadeira, o armazém ou a farmácia que nos resolvem as necessidades, sem a menor obrigação de nos prestarem auxílio.

Respeitar o direito do próximo sem exigir de ninguém virtudes que não possuímos ou benefícios que não fazemos.

Todos pregamos reformas salvadoras.

Guardemos bastante prudência para não nos fixarmos inutilmente nos dísticos de fachada.

Edificação social, no fundo, é caridade e caridade vem de dentro.

Façamos uns aos outros a caridade de cumprir o próprio dever.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Apostilas da Vida. Lição nº 03. Página 25. Ditado pelo Espírito André Luiz.

 

LEITURA DO EVANGELHO 

Cap.17 – SEDE PERFEITOS

III - Superiores e Inferiores

 

FRANÇOIS-NICOLAS-MADELEINE

Cardeal Morlot, Paris, 1863

            9 – A autoridade, da mesma maneira que a fortuna, é uma delegação, de que se pedirá contas a quem dela foi investido. Não creias que ela seja dada satisfazer ao fútil prazer do mando, nem tampouco, segundo pensa falsamente a maioria dos poderosos da terra, como um direito ou uma propriedade. Deus, aliás, tem demonstrado suficientemente que ela não é nem uma, nem outra coisa, desde que a retira quando bem lhe apraz. Se fosse um privilégio inerente à pessoa que a exerce, seria inalienável. Ninguém pode dizer, entretanto, que uma coisa lhe pertence, quando pode ser tirada sem o seu consentimento. Deus concede autoridade a título de missão ou de prova, conforme lhe convém, e da mesma forma a retira.

            O depositário da autoridade,de qualquer extensão que esta seja, desde a do senhor sobre o escravo até a do soberano sobre o povo, não deve esquivar-se à responsabilidade de um encarregado de almas, pois responderá pela boa ou má orientação que der aos seus subordinados, e as faltas que estes puderem cometer, os vícios a que forem arrastados em conseqüência dessa orientação ou dos maus exemplos recebidos, recairão sobre ele. Da mesma maneira, colherá os frutos de sua solicitude, por conduzi-los ao bem. Todo homem tem, sobre a Terra, uma pequena ou uma grande missão. Qualquer que ela seja, sempre lhe é dada para o bem. Desviá-la, pois, do seu sentido, é fracassar no seu cumprimento.

            Se Deus pergunta ao rico: Que fizeste da fortuna que devia ser em tuas mãos uma fonte espalhando a fecundidade em seu redor? Também perguntará ao que possui alguma autoridade: Que uso fizeste dessa autoridade? Que males impediste? Que progressos impulsionaste? Se te dei subordinados, não foi para torná-los escravos da tua vontade, nem dóceis instrumentos dos teus caprichos e da tua cupidez; se te fiz forte e te confiei os fracos, foi para que os amparasses e os ajudasses a subir até mim.

            O superior que guardou as palavras do Cristo, não despreza a nenhum dos seus subordinados, porque sabe que as distinções sociais não subsistem diante de Deus. O Espiritismo lhe ensina que, se eles hoje o obedecem, na verdade já podem tê-lo dirigido, ou poderão dirigi-lo mais tarde, e que então será tratado como por sua vez os tratou.

            Se o superior tem deveres a cumprir, o inferior também os tem de sua parte, e não são menos sagrados. Se também este é espírita, sua consciência lhe dirá, ainda mais fortemente, que não está dispensado de cumpri-los, mesmo que o seu chefe não cumpra os dele, porque sabe que não deve pagar o mal com o mal, e que as faltas de uns não autorizam as de outros. Se sofre na sua posição, dirá que sem dúvida o mereceu, porque ele mesmo talvez tenha abusado outrora de sua autoridade, devendo agora sentir os inconvenientes do que fez os outros sofrerem. Se for obrigado a suportar essas posições, na falta de outra melhor, o Espiritismo lhe ensina a resignar-se a isso, como a uma prova a sua humildade, necessária ao seu adiantamento. Sua crença o guia na sua conduta: ele age como desejaria que os seus subordinados agissem com ele, caso fosse o chefe. Por isso mesmo é mais escrupuloso no cumprimento das obrigações, pois compreende que toda negligência no trabalho que lhe foi confiado será um prejuízo para aquele que o remunera, e a quem deve o seu tempo e os seus cuidados. Numa palavra, ele é guiado pelo sentimento do dever que a sua fé lhe infunde, e a certeza de que todo desvio do caminho reto será uma dívida, que terá de pagar mais cedo ou mais tarde.

Para refletir: Aquele que na atualidade esteja em uma posição de superioridade, deve sempre lembrar-se que pode perdê-la, a qualquer momento, pois na Terra, nada é definitivo. Diferentes funções sempre haverá, pelas necessidades sociais, mas também pelos diferentes interesses e capacidades preferenciais de cada um. Deve também refletir que toda autoridade, assim como a fortuna, é um empréstimo, uma delegação, da qual terá que prestar contas um dia. E em assim sendo, precisa estar atento à maneira como a executa. Todas as experiências que o viver na Terra proporciona, tem por finalidade, desenvolver o patrimônio espiritual que todos recebem de Deus, desde a sua criação. E é o modo como sente, pensa e faz que vai determinar esse desenvolvimento, em relação ao tempo, e também em relação à maneira como será feito, se com mais ou menos sofrimentos, com mais ou menos segurança, com mais ou menos erros, equívocos, omissões. Por isso, toda posição de mando, de autoridade, é sempre uma missão ou prova, em benefício espiritual de quem a tem, mas nunca para satisfazer os seus caprichos, os seus prazeres. Quem cumpre com seus deveres, autoridade ou subalterno, procurando dar do seu melhor em tudo que faz, vive mais tranquilo porque tem a paz da consciência, sentindo-se sempre estimulado a perseverar nas eternas leis do bem e do amor.

 

Prece final e Vibrações:

 

"Porque onde estiverem reunidos em meu nome, lá estarei presente."  Jesus. (MATEUS, 18:20.)

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel/Chico Xavier]                                                                    

     

Com nossos pensamentos e sentimentos harmonizados e elevados a Deus nosso Pai, vamos vibrar em favor de nossos  irmãos.

Vamos vibrar pela Paz Mundial e harmonia entre todos os povos.
Por todas as religiões que divulgam o Evangelho de Jesus e por todos os espíritos com tarefas Evangélicas.

Vibremos pelo nosso Brasil, pela nossa Presidenta e por todo seu ministério, para que a justiça e o amor prevaleçam.

Vibremos por todos aqueles que sofrem, pelos enfermos da alma ou do corpo físico, pelos encarcerados, pelos órfãos, pelas casas de repouso, asilos e manicômios.
Vibremos por nossa Casa Espírita, que acolhe e reconforta a todos que procuram ali o balsamo para suas dores. Que todos os projetos e todos os voluntários e dirigentes sejam sempre amplamente abençoados e protegidos.

Vibremos por todos os lares da Terra, principalmente por aqueles que estão desarmonizados. Também por nossos lares e pelos nossos queridos, imaginando a figura meiga de Jesus entrando pela porta principal, deixando em todos os aposentos, um rastro de luz, que ilumina e higieniza todos os ambientes, fazendo com ali permaneçam as vibrações de amor, a compreensão e respeito.

Finalmente pedimos a Deus, permissão para vibrarmos por nós mesmos, criaturas ainda tão necessitadas do amparo e da misericórdia Divina, que possamos ter discernimento em nossos pensamentos e em nossas ações, permita Pai que os Bons Espíritos, fluidifiquem nossas águas, que nelas sejam depositadas energias salutares para nosso reequilíbrio físico e espiritual.

Renova Pai, nossas esperanças para que não nos desesperemos diante das dificuldades a serem enfrentadas. Mostra-nos uma luz a nos guiar quando nos encontrarmos perdidos pelos caminhos dos desentendimentos.
Dai-nos a paciência diante dos conflitos que nascem à nossa frente.
Pai, abençoe nossos passos para que não se tornem vacilantes diante dos espinhos que podem encontrar. Envolva-nos em seu amparo nos instantes em que mais nos sentirmos sozinhos. Multiplica nossas forças para que possamos reconhecer o verdadeiro caminho da salvação e livra-nos das garras do medo, auxiliando-nos a combater o mal que ainda tenta nos dominar.
Envolve-nos sempre Pai, em Tua Luz de proteção, fazendo com que possamos caminhar com segurança em sua direção e que possamos retribuir sempre o muito que recebemos, amando-nos uns aos outros para que estejamos sempre contigo, na certeza de que estás sempre conosco. 
Que assim seja.

Graças a Deus! Graças a Jesus.

 

RECEBAM NOSSO ABRAÇO FRATERNO E O DESEJO DE UMA SEMANA FELIZ E ABENÇOADA.

 

comments powered by Disqus