Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Caracteres da Perfeição - Cap. XVII - itens 1 e 2 - segundas feiras-12hs.

Departamento de Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

HORA DO EVANGELHO NO LAR

“Sede vós logo perfeitos, como também vosso Pai celestial é perfeito.” (Mateus, V:48).

 

PRECE

Senhor Jesus, neste momento em que nos preparamos para o estudo do Evangelho queremos agradecer a Deus, o Pai da Vida e a Ti, Mestre Amado, por tudo que temos recebido, por todos os ensinamentos, pela vida, pela presente encarnação e por este momento de aprendizado.

E assim, agradecidos, sentindo a paz se estabelecer em nosso ambiente, pedimos a Tua proteção e amparo, que possa, Mestre Amada, permitir a presença de nossos protetores e benfeitores no estudo de hoje, para que nos deem assistência, auxiliando-nos na compreensão e na prática dos ensinamentos de hoje. 
Em Teu Nome, Mestre Jesus, em nome dos Benfeitores Espirituais aqui presentes, mas sobretudo em nome do Pai,  iniciamos o estudo do Teu Evangelho de Luz, com a prece que nos ensinou:

Pai Nosso....

Que assim seja..
Graças a Deus, Graças a Jesus.

 

MENSAGEM INICIAL

Motivos para socorro aos maus

“…e orai pelos que vos perseguem.” — JESUS (Mateus, V: 44)

Todos aqueles Espíritos interpretados como [sendo] maus são irmãos nossos — criaturas do Criador, quanto nós mesmos — credores de auxílio e consideração.

A maldade, em muitos [casos], provém da ignorância que compele o ser a comportamento infeliz, reclamando assistência educativa.

Às vezes a crueldade não é senão doença catalogável na patologia da mente, agravada, em muitas ocasiões, por influência obsessiva solicitando ajuda curativa ao invés de punição.

Muitos criminosos são companheiros que não resistiram às tentações trazidas de existências passadas, incursos em faltas das quais somos passíveis em nossa atual posição de consciências endividadas perante a Lei.

O malfeitor no cárcere ou em cumprimento da pena que lhe foi cominada é semelhante ao enfermo no hospital ou em tratamento adequado, requerendo compreensão e apoio fraterno.

Ninguém experimenta alegria ante as vítimas do mal, como ninguém sente prazer diante do vizinho que a moléstia perturba, mas, assim como o doente do corpo exige medicação, o doente da alma requisita socorro.

Tanto quanto não será possível prever a extensão do incêndio sem medidas que o combatam, ninguém pode acautelar-se do alastramento do mal sem a colaboração do bem que o elimine.

Quando a pessoa conhece as próprias responsabilidades e pratica o mal mesmo assim, entreguemo-la a si mesma, convencidos de que essa pessoa carregará no subconsciente a dor da culpa até que se liberte, pelo sofrimento, da sombra em que se envolveu.

Situemo-nos em lugar dos nossos irmãos caídos e verificaremos que eles precisam muito mais de assistência que de censura.

Quando as circunstâncias nos impeçam o abraço fraternal imediato aos que nos feriram, não nos esqueçamos de que, ainda assim, ser-nos-á possível auxiliá-los sempre através da oração.

Do livro: Palavra da Vida Eterna - Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

 

LEITURA DO EVANGELHO

Capítulo 17 – SEDE PERFEITOS

Caracteres da Perfeição – Itens 1 e 2  

1 – Mas eu vos digo: Amai os vossos inimigos, fazei bem ao que vos tem ódio, e orai pelos que vos perseguem e caluniam. Para serdes filhos de vosso Pai que está nos Céus; o qual faz nascer o seu sol sobre bons e maus, e vir chuva sobre justos e injustos. Porque se vós não amais senão os que vos amam, que recompensas haveis de ter? Não faz os publicanos também o mesmo? E se vós saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis nisso de especial? Não fazem também assim os gentios? Sede vós logo perfeitos, como também vosso Pai celestial é perfeito. (Mateus, V: 44 e 46-48).

2 – Desde que Deus possui a perfeição infinita em todas as coisas, esta máxima: “Sede perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito”, tomada ao pé da letra, faria supor a possibilidade de atingirmos a perfeição absoluta. Se fosse dado à criatura ser tão perfeita quanto o seu próprio Criador, ela o igualaria, o que é inadmissível. Mas os homens aos quais Jesus se dirigia não teriam compreendido essa questão. Ele se limitou, portanto, a lhes apresentar um modelo e dizer que se esforçassem para atingi-lo.

Devemos, pois, entender, por essas palavras, a perfeição relativa de que a humanidade é suscetível, e que mais pode aproximá-la da Divindade. Mas em que consiste essa perfeição? Jesus mesmo o disse: “Amai os vossos inimigos, fazei bem aos que vos têm ódio, e orai pelos que vos perseguem e caluniam”. Com isso, mostra que a essência da perfeição é a caridade, na sua mais ampla acepção, porque ela implica a prática de todas as outras virtudes.

Com efeito, se observarmos o resultado de todos os vícios, e mesmo dos simples defeitos, reconheceremos que não há nenhum que não altere mais ou menos o sentimento de caridade, porque todos nascem do egoísmo e do orgulho, que são a sua negação. Porque tudo o que excita exageradamente o sentimento da personalidade destrói ou, quando nada, enfraquece os princípios da verdadeira caridade, que são: a benevolência, a indulgência, o sacrifício e o devotamento. O amor do próximo, estendido até o amor dos inimigos, não podendo aliar-se com nenhum defeito contrário à caridade, é sempre, por isso mesmo, o indício de uma superioridade moral maior ou menor. Do que resulta que o grau de perfeição está na razão direta da extensão do amor ao próximo. Eis por que Jesus, depois de haver dado a seus discípulos as regras da caridade, no que ela tem de mais sublime, lhes disse: “Sede logo perfeitos, como também vosso Pai celestial é perfeito”.

REFLEXÕES: É fácil amar quem nos ama, conviver com quem pensa e vive mais ou menos como nós. “Amor com amor se paga” já diziam os antigos. Todavia, Jesus vai além. Manda que amemos os nossos inimigos, nossos adversários, os que nos odeiam e caluniam para sermos filhos de Deus.

Mas, não somos todos filhos de Deus? Sim, todos nós o somos.

Mas, agimos como filhos de Deus? Não, não agimos. Jesus, que é o modelo de perfeição para a humanidade, demonstrou durante toda sua vida, como deve agir o filho de um Pai perfeito. Jesus nos disse: “Sede logo perfeitos, como também vosso Pai celestial é perfeito”, demonstrando que todos os homens podem aperfeiçoar-se, porém, quando se fala em perfeição humana, fala-se de uma perfeição relativa e não absoluta, pois se fosse permitido que os homens alcançassem a perfeição absoluta do Criador, se igualaria a Ele, o que seria inadmissível.

A finalidade da evolução espiritual é tornar aquele ser simples e ignorante em um ser sábio e bom, perfeito e feliz. Para isso, tem o Espírito de desenvolver-se em inteligência e em moralidade.

Não basta desenvolver-se intelectualmente, necessário também, o desenvolvimento moral. Não basta amar os que nos amam, fazer bem aos que nos fazem bem. É preciso muito mais.

Afirma Kardec que Jesus mostra que a “essência da perfeição é a caridade, na sua mais ampla acepção, porque ela implica a prática de todas as outras virtudes.”

Caridade é o amor em ação, é ver em qualquer pessoa um filho de Deus, um irmão em processo de desenvolvimento, sujeito a enganos, erros e omissões. Enquanto a isso não chegarmos, seremos homens imperfeitos, Espíritos em desenvolvimento.

Compreendendo esse raciocínio, percebemos o quanto precisamos estar atentos a tudo que sentimos, pensamos e agimos, para que possamos atingirmos perfeição relativa de que somos capazes. Pensemos nisto!

Ver também:  LE, Cap. 12 - questões 893 a 896, 907, 908, 917 e 918.

  

PRECE E VIBRAÇÕES –

 

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

 

Senhor Jesus, Divino amigo, há sempre quem peça pelos perseguidos mas raros são aqueles que se lembram de orar pelos perseguidores.

Em toda parte ouvimos rogativas em benefício daqueles que obedecem, no entanto é difícil vermos uma súplica em favor dos que administram.

Há muitos que rogam pelos fracos para que sejam socorridos em tempo, no entanto Senhor, raros são os corações que intercedem pelos fortes, para que sejam bem conduzidos.

Senhor, Tua justiça não falha, conhece aquele que fere e aquele que é ferido. Não julgas pelo padrão de nossos desejos, porque o Teu Amor é perfeito e infinito. Nunca olhou somente para os cegos, doentes e desalentados da sorte, porque amparas na hora justa os causadores da cegueira, da enfermidade e do desanimo. Se salva as vítimas do mal, salva também os pecadores, os infiéis e injustos.

Se Tu Mestre, procedeu assim na Terra, quem somos nós, espíritos endividados, para julgarmos uns aos outros?

Acende em nós a claridade de um entendimento novo.

Auxilia-nos a interpretar as dores do próximo por nossas próprias dores.

Quando atormentados, faze-nos sentir as dificuldades daqueles que nos atormentam para que saibamos vencer os obstáculos em Teu Nome.

Misericordioso Amigo, não nos deixe sem rumo, relegados à limitação de nossos próprios sentimentos...

Acrescenta-nos a fé vacilante, descortina-nos as raízes comuns da vida, a fim de compreendermos finalmente, que somos irmãos uns dos outros.

Ensina-nos que não existe outra lei, fora do sacrifício, da renúncia, que possa facilitar nosso crescimento para os mundos divinos.

Ajuda-nos a converter o ódio em amor, porque ainda não sabemos em nossa condição de inferioridade, senão transformar o amor em ódio.

Senhor, infunde-nos o dom de nos ampararmos mutuamente.

Auxilia-nos a estendermos as mãos em direção daqueles que ainda não nos compreendem.

É para eles Senhor, que te suplicamos agora: liberta-os para que se equilibrem e se reconheçam... Ajuda-os Senhor, a se aprimorarem nas emoções do amor santificante. Que eles possam sentir o Teu carinho, porque Te amam e Te buscam mesmo que inconscientemente.

Quanto a nós, Senhor, pedimos perdão por nossas falhas e Te suplicamos que se compadeça das nossas misérias morais e abençoe-nos, permitindo Senhor, que nossas águas sejam fluidificadas para que nos proporcionem saúde e vitalidade, coragem e força nos trabalhos do bem. Graças vos damos por todas as bênçãos, que Tua presença seja constante em nossos corações. (*)

Que assim seja.

 

Recebam nosso abraço fraterno e o desejo de uma semana feliz e abençoada.

Paz e Luz.


(*) Parte do texto extraído da Prece de Irmão Gubio, livro Libertação – André Luiz/Chico Xavier.

comments powered by Disqus