Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Parábola O Óbulo da Viúva - segundas feiras, 12hs.

Departamento de Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

HORA DO EVANGELHO NO LAR

“Aquele que deseja sinceramente tornar-se útil para os seus irmãos, encontra mil ocasiões de fazê-lo..” (Kardec - ESE)

 

PRECE

Agradecidos por mais esta oportunidade de aprendizado, elevamos nossos pensamentos a Deus, nosso Pai, rogando que nos fortaleça em nossa caminhada evolutiva e que permita estarmos aqui, acompanhados de nossos benfeitores espirituais, para estudarmos e aprendermos um pouco mais sobre as Leis Divinas, através do Evangelho de Jesus.

Rogamos a nosso Mestre Jesus que, com a permissão do Pai, nos envolva, nos iluminando com a luz do saber, do entendimento e da fraternidade, para que nosso estudo e aprendizado converta-se em ações no nosso dia a dia.

Rogamos ao Divino Mestre que nos auxilie a sermos merecedores do Amor do Pai, que Tua Divina presença em nosso lar seja sempre a força do amparo, da proteção e da coragem que necessitamos para aprendermos, crescermos, evoluindo sempre.

Seja sempre, Mestre Jesus, nossa fonte de inspiração.

E assim, em Teu nome Mestre Jesus, em nome do benfeitores espirituais, mas sobretudo em nome de Deus, nosso Pai, iniciamos mais um Estudo do Evangelho.
Que assim seja!

Graças a Deus, Graças a Jesus.

 

MENSAGEM INICIAL

O Poder da Migalha

Não desprezes o poder da migalha na obra do auxílio.
O prato simples que partilhas com o irmão em penúria não resolve o problema da fome; entretanto, ele em si não é apenas favor providencial para quem o recebe, mas também mensagem de fraternidade expedida na direção de outras almas, que se inclinarão a repartir as alegrias da mesa.
A peça de roupa com que atendes ao viajor, estremunhado de frio, não extingue o flagelo da nudez; todavia, ela em si não constitui valioso abrigo para quem a recolhe, mas também apelo silencioso para que amigos que esperam, unicamente, um sinal de amor para se entregarem aos júbilos do serviço.
Acontece o mesmo com a moeda humilde que ajustada à beneficência, faz pensar no valor da cooperação, e com o livro edificante que, funcionando no apoio a companheiros necessitados de esclarecimento e consolo, nos obriga a meditar no impositivo da cultura espiritual.
Em muitas circunstâncias, é um gesto só de tua compreensão que salvará alguém de calamidade eminente e, em muitos casos, uma só frase de tua parte representa a segurança de comunidades inteiras.
Bem aventurado todo aquele que estende milhões à supressão dos problemas de  natureza material e bem aventurado todo aquele que cede algo de si próprio, a benefício dos outros, ainda que seja tão-somente uma palavra de bênção para o conforto de uma criança esquecida.
Não desprezes o poder da migalha na obra do auxílio.
Por dádiva de sustentação e misericórdia para felizes e infelizes, sábios e ignorantes, justos e injustos, Deus entrega o Sol por atacado, mas por dom inefável, capaz de conduzir as criaturas com harmonia e discernimento, no rumo das perfeições divinas, Deus dá o tempo, trocado em miúdo, através das migalhas dos minutos, iguais para todos.
O coração humano é comparável a cofre repleto de riquezas incalculáveis, e ninguém o possui impenetrável ou inacessível... Habitualmente, resistirá a golpes de martelos, à ação de gazuas e até mesmo ao impacto de explosivos e provas de fogo; mas, quase sempre, é a tua migalha de humildade e paciência, bondade e cooperação que simboliza a chave capaz de abri-lo.

Do livro: Estude e Viva - Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

 

LEITURA DO EVANGELHO

Capítulo 12 – AMAI OS VOSSOS INIMIGOS

O ÓBULO DA VIÚVA – itens 5 e 6 

5 – E estando Jesus assentado defronte donde era o gazofilácio, observava ele de que modo deitava o povo ali o dinheiro; e muitos, que eram ricos, deitavam com mão larga. E tendo chegado uma pobre viúva, lançou duas pequenas moedas, que importavam um real. E convocando seus discípulos, lhes disse: Na verdade vos digo, que mais deitou esta pobre viúva do que todos os outros que deitaram no gazofilácio. Porque todos os outros deitaram do que tinham na sua abundância; porém esta deitou da sua mesma indulgência tudo o que tinha, e tudo o que lhe restava para seu sustento. (Marcos, XII: 41-44 – Lucas, XXI: 1-4).

6 – Muita gente lamenta não poder fazer todo o bem que desejaria, por falta de recursos, e se querem a fortuna, dizem, é para bem aplicá-la. A intenção é louvável, sem dúvida, e pode ser muito sincera de parte de alguns; mas o seria de parte de todos, assim completamente desinteressados? Não haverá os que, inteiramente empenhados em beneficiar os outros, se sentirão bem de começar por si mesmos, concedendo-se mais algumas satisfações, um pouco mais do supérfluo que ora não têm, para dar aos pobres apenas, o resto? Este pensamento oculto, talvez dissimulado, mas que encontrariam no fundo do coração, se o sondassem, anula o mérito da intenção, pois a verdadeira caridade faz antes pensar nos outros que em si mesmo.

O sublime da caridade, nesse caso, seria procurar cada qual no seu próprio trabalho, pelo emprego de suas forças, de sua inteligência, de sua capacidade, os recursos que lhe faltam para realizar suas intenções generosas. Nisso estaria o sacrifício mais agradável ao Senhor. Mas, infelizmente, a maioria sonha com meios fáceis de se enriquecer, de um golpe e sem sacrifícios, correndo atrás de quimeras, como a descoberta de tesouros, uma oportunidade favorável, o recebimento de heranças inesperadas, e assim por diante. Quer dizer dos que esperam encontrar, para os secundar nessas buscas, auxiliares entre os Espíritos? É evidente que eles nem conhecem nem compreendem o sagrado objetivo do Espírito, e menos ainda a missão dos Espíritos, aos quais Deus permite comunicarem-se com os homens. Mas justamente por isso, são punidos pelas decepções. (Livro dos Médiuns, nº 294 e 295).

Aqueles cuja intenção é desprovida de qualquer interesse pessoal, deve consolar-se de sua impotência para fazer o bem que desejariam, lembrando que o óbolo do pobre, que o tira da sua própria privação, pesa mais na balança de Deus que o ouro do rico, que dá sem privar-se de nada. Seria grande a satisfação, sem dúvida, de poder socorrer largamente a indigência; mas, se isso é impossível, é necessário submeter-se a fazer o que se pode. Aliás, não é somente com o ouro que se podem enxugar as lágrimas, e não devemos ficar inativos por não o possuirmos. Aquele que deseja sinceramente tornar-se útil para os seus irmãos, encontra mil ocasiões de fazê-lo. Que as procure e as encontrará. Se não for de uma maneira, será de outra, pois não há uma só pessoa, no livre gozo de suas faculdades, que não possa prestar algum serviço, dar uma consolação, amenizar um sofrimento físico ou moral, tomar uma providência útil. Na falta de dinheiro, não dispõe cada qual do seu esforço, do seu tempo, do seu repouso, para oferecer um pouco aos outros? Isso também é a esmola do pobre, o óbolo da viúva.

REFLEXÕES: Óbulo – moeda grega de pouco valor. Gazofilácio -  caixa onde os fiéis colocam suas ofertas voluntárias e ou seus dízimos. As doações de recursos materiais fazem parte das ações caridosas. Neste episódio tão singelo, Jesus dá uma lição magistral sobre o assunto. Aos olhos da percepção humana, a viúva deu a menor quantia. Jesus, porém, pela sua elevação espiritual, percebeu o sacrifício da viúva e, considerou, no seu julgamento, o valor moral e não o valor material da oferta. Não julgou pelo testemunho dos sentidos, mas pelo valor espiritual, enaltecendo o menor valor pelos valores morais que expressavam: sinceridade na fé, vontade de contribuir com o que julgava seu dever, desprendimento, esquecimento das suas necessidades no momento, renúncia... Observemos o que a viúva ofertou para Deus, simbolizado por “duas moedinhas”: “amor” e “boa vontade”. Antes de chegar ao gazofilácio, a viúva teve que enfrentar os olhares críticos de todos a sua volta.  Esta foi sua primeira doação: boa vontade – coragem. E na mesma proporção entregou a Deus sua humilhação, pois foi profundamente julgada pelos ricos a sua volta e, mesmo temendo a reprovação de todos que ali estavam, serviu a Deus. O amor é representado pela entrega. Ela deu o pouco do que tinha, porém ela deu isto como um ato de amor, um ato de caridade para ajudar aquilo que ela considerava justo. Essa parábola refere-se ao mais simples exemplo da verdadeira caridade: doar aquilo que se tem.  E a Caridade é exatamente assim: A Caridade verdadeira consiste no mais das vezes, em dar aos outros a felicidade que não temos para nós mesmos. Não há ninguém que não tenha algo para doar. A oração intercessória por alguém; a referência positiva a respeito do próximo; a ação, desconhecida pelo beneficiário; o perdão silencioso à ofensa intempestiva ou a compreensão fraternal, quando ocorra lamentável incidente; são pequenas-valiosas moedas colocadas nos gazofilácios das vidas, em cumprimento à Lei de amor, que vigora em toda a parte.

Pensemos nisto!

 

 

PRECE E VIBRAÇÕES –

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

Agradecendo a Jesus por mais este nosso encontro de corações, vamos, com os pensamentos elevados, humildemente, pedindo que Ele nos abençoe, que nos envolva e que lance Sua Luz em nossa direção, para que fortaleça nosso propósito de nos melhorarmos e caminharmos sempre rumo a nossa Evolução Espiritual. Rogamos Mestre amado que nos cubra-nos com Tua proteção, reabasteça nossa energias, fazendo-nos compreensão. Com nossos corações elevados vamos vibrar sentimentos de Paz, de Amor, de Harmonização, de Saúde e Equilíbrio em benefício de todos os nossos irmãos.
Vibremos por todos aqueles que caminham pela vida sem deixarem-se ofuscar pelas facilidades da matéria.
Vibremos por todos que, tendo uma compreensão maior das suas reais necessidades, não se deixam enganar pelo brilho que se esconde atrás do poder.
Vibremos por todos que vivem com tranquilidade o seu dia-a-dia, sem se preocuparem com o amanhã, pois dentro deles reina a certeza que o Pai não abandona um filho seu.
Vibremos por todos aqueles que, na aceitação das determinações do Pai, têm a certeza que esse é o caminho do aprendizado, da humildade e da fé num amanhã melhor.
Vibremos por todos que aceitam a vida sem murmurar, pois deles é o reino dos céus.

Vibremos pelos doentes, pelos obsediados, pelos idosos, pelas crianças, por todas as famílias, pelos que sofrem de solidão e depressão, pelos jovens, por nosso Brasil, por nossa Casa Espírita e por todos seus voluntários e assistidos. Que todos sejam amplamente abençoados, que recebam o balsamo para suas dores.

E assim, Jesus Amigo, neste momento em que vamos encerrando mais um encontro de corações, nós Vos pedimos que os fluidos divinos sejam depositados em nossas águas e que através deles possamos receber as bênçãos que necessitamos e Te rogamos que nos auxilie a sermos cada dia melhores do que fomos ontem, que possamos compreender e aceitar todas as nossas fragilidades e que possamos retribuir tudo o que temos recebido contribuindo com o trabalho no bem, que possamos dar nossa parcela de contribuição, que saibamos doar de nós mesmos em benefício de nossos semelhantes, compreendendo e perdoando.

E assim, envolvidos pela Tua Paz e na certeza de que estás sempre conosco, agradecemos Tua presença em nossas vidas, dando graças pelo Teu imenso amor. Aos nossos anjos guardiões a nossa gratidão por estarem sempre ao nosso lado, nos orientando e auxiliando, principalmente nos momentos em que nos sentimos fragilizados.

E ao iniciarmos mais um ano queremos dar graças a Deus, nosso Pai, por tudo que recebemos através da Tua Bondade: Graças pela vida. Graças pela natureza, pela água, pelo ar, pela luz, pelo Sol! Graças pela alegria e pela dor.  Agradecemos pelas pessoas que encontramos, que servimos e amamos neste ano que passou; agradecemos pelas pessoas que nos amaram e que nos ajudaram a ter uma vida melhor. Pedimos perdão pelo tempo perdido, pelas palavras inúteis e pelo amor desperdiçado. Pedimos perdão pelas nossas negligências e pelos nossos esquecimentos. Agradecemos Senhor, por tudo que realizamos e pelo que desejamos realizar. Auxilia-nos Senhor, para que no decorrer deste ano possamos aproveitar melhor o tempo nas obras do bem e para que compreendamos que não podemos voltar atrás e fazer novo começo, mas que podemos recomeçar agora e fazer um novo fim. Que assim seja.

Graças a Deus, Graças a Jesus.

 

Feliz 2017 a todos!!! Paz, alegrias, bençãos, união, fé, saúde e muito amor!

comments powered by Disqus