Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Verdadeira Pureza e Mãos Lavadas - itens 8 a 10-Cap. 8 - segundas feiras.

Departamento de Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 21 de novembro de 2016

HORA DO EVANGELHO NO LAR

"...Porque a sua boca fala o de que está cheio o coração." (Lucas: 6-45)

 

PRECE

Agradecemos Mestre Amado por mais esta oportunidade de aprendizado e reflexão; agradecemos por estarmos aqui reunidos neste ambiente virtual, para mais nosso encontro de corações, agradecemos Senhor a nossa presente reencarnação.

Mestre Jesus, ensina-nos a amarmos os nossos semelhantes, a repartirmos com nosso próximo o afeto e carinho que existem em nós. Que através de Teus ensinamentos Mestre, possamos enxergar naqueles que sofrem, um irmão de caminhada, o nosso irmão e assim, auxiliá-los em suas dificuldades. Auxilia-nos Mestre a superarmos a distância que o nosso egoísmo estabelece em relação aos nossos irmãos de caminhada e nos dê sempre a oportunidade do trabalho bendito.

Permaneça sempre conosco, Senhor, dando-nos inspiração e luz para o necessário entendimento dos Teus ensinamentos. E assim Mestre Jesus, em Teu Nome, com teu amparo e proteção iniciamos os estudos de hoje.

Que assim seja!

Graças a Deus, Graças a Jesus.

MENSAGEM INICIAL

CONVITE À PALAVRA

Instrumento valioso é a palavra, doação divina, para o elevado ministério do intercâmbio entre os homens.

Resultado de notáveis experiências, o homem nem sempre a utiliza devidamente, dominado pela leviandade.

Embora o ser humano, com raras exceções expiatórias, seja dotado de recurso vocálico, somente poucos dele se servem com a necessária sabedoria, de modo a construir esperanças, balsamizar dores e traçar rotas de segurança.

Fala-se muito por falar, "matar-se o tempo."

A palavra, não poucas vezes, se converte em estilete da impiedade, em lâmina da maledicência, em bisturi da revolta e golpeia às cegas ao império das torpes paixões. No entanto, pode modificar estruturas morais, partindo dos ensaios da tolerância às materializações do amor.

Semelhantes a gotas de luz, as boas palavras dirigem conflitos, equacionam incógnitas, resolvem dificuldades...

A palavra, todavia, deve partir das fontes do pensamento laurizado pelo Evangelho.

Há quem pronuncie palavras doces, com lábios tisnados pelo fel; há quem sorria embora chorando; há aqueles que falam meigamente, cheios de ira e ódio... Mas esses são enfermos em demorado processo de reajuste.

Desculpa a fragilidade alheia, lembrando-te das próprias fraquezas.

Evita censura.

A maledicência começa na palavra do reproche inoportuno.

Se desejas educar, reparar erros, não os abordes estando o responsável ausente.

Toda palavra torpe, como qualquer censura contumaz, faz-se hábito negativo que culmina por envilecer o caráter de quem com isso se compraz.

Enriquece o coração de amor e banha o cérebro com as luzes da misericórdia divina e da sabedoria, a fim de que fales, e fales muito, "o de que está cheio o coração."

Joanna de Ângelis, do Livro: Convites da Vida, Psicografia: Divaldo Pereira Franco, Editora: LEAL

LEITURA DO EVANGELHO

Capítulo 7 – BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO

Verdadeira Pureza e Mãos Lavadas

8 – Então chegaram a ele uns escribas e fariseus de Jerusalém, dizendo: Por que violam os teus discípulos a tradição dos antigos? Pois não lavam as mãos quando comem o pão. E ele, respondendo, lhes disse: E vós também, por que transgredis o mandamento de Deus, pela vossa tradição? Porque Deus disse: Honra a teu pai e a tua mãe, e o que amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, morra de morte. Vós outros, porém, dizeis: Qualquer que disser a seu pai ou a sua mãe: Toda a oferta que faço a Deus te aproveitará a ti, está cumprindo a lei. Pois é certo que o tal não honrará a seu pai ou a sua mãe. Assim é que vós tendes feito vão os mandamentos de Deus, pela vossa tradição. Hipócritas, bem profetizou de vós outros Isaías, quando diz: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão, pois, me honram, ensinando doutrinas e mandamentos que vêm dos homens. E chamando a si as turbas, lhes disse: Ouvi e entendei. Não é o que entra pela boca o que faz imundo o homem, mas o que sai da boca, isso é o que faz imundo o homem. Então, chegando-se a ele os discípulos, lhe disseram: Sabes que os fariseus, depois que ouviram o que disseste, ficaram escandalizados? Mas ele, respondendo, lhes disse: Toda a planta que meu Pai não plantou será arrancada pela raiz. Deixai-os; cegos são, e condutores de cegos. E se um cego guia a outro cego, ambos vêm a cair no barranco. E respondendo Pedro, lhe disse: Explica-nos essa parábola. E respondeu Jesus: Também vós outros estais ainda sem inteligência? Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce ao ventre, e se lança depois num lugar escuso? Mas as coisas que saem da boca vêm do coração, e estas são as que fazem o homem imundo; porque do coração é que saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as fornicações, os furtos, os falsos testemunhos, as blasfêmias. Estas coisas são as que fazem imundo o homem. O comer, porém, com as mãos por lavar, isso não faz imundo o homem. (Mateus, XV: 1-20).

9 – E quando Jesus estava falando, pediu-lhe um fariseu que fosse jantar com ele, e havendo entrado, sentou-se à mesa. E o fariseu começou a discorrer lá consigo mesmo sobre o motivo por que não se tinha lavado antes de comer. E o Senhor lhe disse: Agora vós outros, os fariseus, limpais o que está por fora do copo e do prato, mas o vosso interior está cheio de rapina e de maldade. Néscios, quem fez tudo o que está de fora não fez também o que está de dentro? (Lucas, XI: 37-40).

10 – Os Judeus haviam negligenciado os verdadeiros mandamentos de Deus, apegando-se à prática de regras estabelecidas pelos homens, e das quais os rígidos observadores faziam casos de consciência. O fundo, muito simples, acabara por desaparecer sob a complicação da forma. Como era mais fácil observar a prática dos atos exteriores, do que se reformar moralmente, de lavar as mãos do que limpar o coração, os homens se iludiam a si mesmos, acreditando-se quites com a justiça de Deus, porque se habituavam a essas práticas e continuavam como eram, sem se modificarem, pois lhes ensinavam que Deus não exigia nada mais. Eis porque o profeta dizia: “É em vão que esse povo me honra com os lábios, ensinando máximas e mandamentos dos homens”.

Assim também aconteceu com a doutrina moral do Cristo, que acabou por ser deixada em segundo plano, o que faz que muitos cristãos, à semelhança dos antigos judeus, creiam que a sua salvação está mais assegurada pelas práticas exteriores do que pelas da moral. É a esses acréscimos que os homens fizeram à lei de Deus, que Jesus se refere, quando diz: “Toda a planta que meu Pai não plantou, será arrancada pela raiz”.

A finalidade da religião é conduzir o homem a Deus. Mas o homem não chega a Deus enquanto não se fizer perfeito. Toda religião, portanto, que não melhorar o homem, não atinge a sua finalidade. Aquela em que ele pensa poder apoiar-se para fazer o mal, é falsa ou foi falseada no seu início. Esse é o resultado a que chegam todas aquelas em que a forma supera o fundo. A crença na eficácia dos símbolos exteriores é nula, quando não impede os assassínios, os adultérios, as espoliações, as calúnias e a prática do mal ao próximo, seja qual for. Ela faz supersticiosos, hipócritas e fanáticos, mas não faz homens de bem.

Não é suficiente ter as aparências da pureza, é necessário antes de tudo ter a pureza de coração.

 

REFLEXÕES: Não é o que entra pela boca que nos faz mal. O que nos entra pela boca objetiva apenas alimentar–nos materialmente e só a nós atinge. O que nos faz mal é o que sai da boca, porque provem do coração: maus pensamentos, blasfêmias, maledicências, etc.  Como está nosso coração? Estamos nos preocupando com a aparência exterior e esquecendo-nos de cuidar de nosso coração? De que adianta uma pessoa estar limpa e bem vestida, mas ser grosseira e maledicente? Os cuidados exteriores é sempre mais fácil do que ter que se reformar interiormente. Precisamos eliminar de nossos corações o ódio e a maldade, a mágoa e os melindres. Os bons costumes devem ser respeitados e praticados, no entanto é necessário evitar a hipocrisia das aparências cordiais e atitudes grosseiras.

O que sai do coração e da mente, pela boca, é força viva e palpitante envolvendo a criatura para o bem ou para o mal, conforme a natureza da emissão.” (Emmanuel/Chico Xavier - Vinha de Luz - cap. 97)

Pensemos nisto!

 

PRECE E VIBRAÇÕES –

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

E assim, Mestre Amado, agradecidos por mais este encontro de corações e em tranquila serenidade, com nossos pensamentos e sentimentos fortalecidos, harmonizados e elevados a Deus nosso Pai, vamos vibrar em favor de nossos irmãos.

Vamos vibrar pela Paz Mundial e harmonia entre todos os povos.

Vibramos pelo nosso Brasil, por todos aqueles que sofrem, que encontram-se enfermos da alma ou do corpo físico, pelos encarcerados, pelos desempregados, pelos órfãos, pelas casas de repouso, asilos e manicômios. 
Vibramos por nossa Casa Espírita, que acolhe e reconforta a todos que procuram um balsamo para suas dores.

Vibramos pelos jovens, para que eles possam estar presentes nas Casas Espíritas, envolvidos pelo trabalho no bem.

Vibramos por nossas crianças, para que elas possam ser sempre bem conduzidas e amparadas.
Vibramos por todos os lares da Terra, principalmente por aqueles que se encontram em desarmonia.

Vibramos também pelo nosso próprio lar e pelos nossos queridos, para que possa haver harmonia, paz, respeito e muito amor entre os familiares. 

E assim pedimos a Deus, permissão para vibrarmos por nós mesmos, criaturas ainda tão necessitadas do amparo e da misericórdia Divina, de aprendizado e aceitação. Que nossas águas sejam fluidificadas, que nelas sejam depositados os medicamentos que necessitamos para nossa saúde física, espiritual e mental. E assim, Senhor agradecemos todas as bênçãos recebidas neste momento. Agradecemos Pai Bondoso o dom da vida, a oportunidade que nos concede a cada dia; agradecemos o pão da vida e o pão da alma com que nos alimenta sempre, agradecemos o Teu Amor que nos envolve e que acolhe nossa alma. Envolva-nos sempre em Tua Luz de Paz e Proteção, abençoando-nos hoje e sempre.

Que assim seja.

Graças a Deus, Graças a Jesus.

Paz e Luz!

comments powered by Disqus