Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Oração Dominical - itens 2 e 3 - segundas feiras, 12hs.

Departamento de Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 22 de agosto de 2016

HORA DO EVANGELHO NO LAR

"Pai nosso...” - Jesus. (Mateus, cap. 6, v. 9.)

 

PRECE

Queridos irmãos, que Jesus abençoe a todos. Vamos orar:

Jesus, Senhor de nossas vidas, rogamos a Ti que abençoe este momento de estudo e reflexão do Teu Evangelho de Luz.

Envolva-nos com Tuas doces vibrações, inspire-nos Mestre, auxilie-nos o entendimento e acima de tudo, mostre-nos o caminho do bem, para que possamos dar continuidade em nossa evolução moral e espiritual.

Que hoje possamos, ao fim de nossos estudos, estarmos mais enriquecidos em nossos conceitos doutrinários, para que possamos coloca-los em prática no dia-a-dia de nossa existência.

E assim, Mestre Jesus, em Teu nome, em nome da espiritualidade amiga e responsável por este trabalho de amor, mas sobretudo em nome de Deus, iniciamos os estudos de hoje.
Que assim seja!

 

MENSAGEM INICIAL
"Pai nosso...” - Jesus. (Mateus, cap. 6, v. 9.)

A grandeza da prece dominical nunca será devidamente compreendida por nós que lhe recebemos as lições divinas...
Cada palavra, dentro dela, tem a fulguração de sublime luz.
De início, o Mestre Divino lança-lhe os fundamentos em Deus, ensinando que o Supremo Doador da Vida deve constituir, para nós todos, o princípio e a finalidade de nossas tarefas.
É necessário começar e continuar em Deus, associando nossos impulsos ao plano divino, a fim de que nosso trabalho não se perca no movimento ruinoso ou inútil.
O Espírito Universal do Pai há de presidir-nos o mais humilde esforço, na ação de pensar e falar, ensinar e fazer.

Em seguida, com um simples pronome possessivo, o Mestre exalta a comunidade.
Depois de Deus, a Humanidade será o tema fundamental de nossas vidas.
Compreenderemos as necessidades e as aflições, os males e as lutas de todos os que nos cercam ou estaremos segregados no egoísmo primitivista.
Todos os triunfos e fracassos que iluminam e obscurecem a Terra pertencem-nos, de algum modo.

Os soluços de um hemisfério repercutem no outro.
A dor do vizinho é uma advertência para a nossa casa.

O erro de um irmão, examinado nos fundamentos, é igualmente nosso, porque somos componentes imperfeitos de uma sociedade menos perfeita, gerando causas perigosas e, por isso, tragédias e falhas dos outros afetam-nos por dentro.
Quando entendemos semelhante realidade, o império do eu” passa a incorporar-se por célula bendita à vida santificante.
Sem amor a Deus e à Humanidade, não estamos suficientemente seguros na oração.

Pai nosso... - disse Jesus para começar. 
Pai do Universo... Nosso mundo...

Sem nos associarmos aos propósitos do Pai, na pequenina tarefa que nos foi permitido executar, nossa prece será, muitas vezes, simples repetição do “eu quero”, invariavelmente cheio de desejos, mas quase sempre vazio de sensatez e de amor.

EMMANUEL (Fonte Viva, 77, FCXavier, FEB)

 

LEITURA DO EVANGELHO
Capítulo 28 – COLETÂNEA DE PRECES ESPÍRITAS

I – PRECES GERAIS – ORAÇÃO DOMINICAL

2 – Prefácio – Os Espíritos recomendaram que abríssemos esta coletânea com a Oração Dominical, não somente como prece, mas também como símbolo. De todas as preces, é a que eles consideram em primeiro lugar, seja porque nos vem do próprio Jesus (Mateus, VI: 9-13), seja porque ela pode substituir todas as outras, conforme a intenção que se lhe atribua. É o mais perfeito modelo de concisão, verdadeira obra-prima de sublimidade, na sua simplicidade. Com efeito, sob a forma mais reduzida, ela consegue resumir todos os deveres do homem para com Deus, para consigo mesmo e para com o próximo. Encerra ainda uma profissão de fé, um ato de adoração e submissão, o pedido das coisas necessárias à vida terrena e o princípio da caridade. Dizê-la em intenção de alguém, é pedir para outro o que desejamos para nós mesmos.

Entretanto, em razão mesmo da sua brevidade, o sentido profundo que algumas das suas palavras encerram escapa à maioria. Isso porque geralmente a proferem sem pensar no sentido de cada uma de suas frases. Proferem-na como uma fórmula, cuja eficácia é proporcional ao número de vezes que for repetida. Esse número é quase sempre cabalístico: o três, o sete ou o nove, em virtude da antiga crença supersticiosa no poder dos números, e do seu uso nas práticas de magia.

Para preencher o vazio que a concisão desta prece nos deixa ajuntamos a cada uma de suas proposições, segundo o conselho e com a assistência dos Bons Espíritos, um comentário que lhes esclarece o sentido e as aplicações. De acordo comas circunstâncias e o tempo de que se disponha, pode-se pois dizer a Oração Dominical em sua forma simples ou desenvolvida.

3. Prece - I – Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome!

Cremos em vós, Senhor, porque tudo nos revela o vosso poder e a vossa bondade. A harmonia do Universo e a prova de uma sabedoria, de uma prudência, e de previdência que ultrapassam todas as faculdades humanas. O nome de um Ser soberamente grande e sábio está inscrito em todas as obras da criação, desde a relva humilde e do menor inseto, até os astros que movem no espaço. Por toda parte, vemos a prova de uma solicitude paternal. Cego, pois, é aquele que não vos glorifica nas vossas obras, orgulhoso aquele que não vos louva, e ingrato àquele que não vos rende graças.

REFLEXÕES: Conforme vemos no Evangelho de Matheus 6:9-13 e Lucas 11:2-4, Jesus ensinou aos discípulos uma oração que é conhecida como Pai Nosso, mas também é chamada de Oração do Senhor ou Oração Dominical. É uma prece curta, direta, densa em seu conteúdo e leve em suas palavras, é fácil e inteligível para qualquer pessoa. A prece do Pai Nosso é dividida em três partes: 1ª Prefácio, 2ª Petições – que são seis, e 3ª Conclusão.

Hoje estamos refletindo sobre o prefácio da prece: “Pai Nosso que estais nos céus, santificado seja Vosso Nome”. Jesus nos mostra, logo no início da prece, o caráter de um Deus bondoso, de um Deus para ser amado e não para ser temido, de um Deus, que nos permite chegar próximo a Ele, porque ele é Pai, Pai Nosso.

Vamos refletir: Quem é o Pai a que Jesus se refere, Jesus está dizendo que este Pai, é pai de quem?  E se todos somos filhos de um mesmo Pai, todos somos o que?  Se somos irmãos, nós estamos nos tratamos como irmãos? Pensemos nisto!

A prece Pai Nosso, nos mostra, como diz Kardec: - o princípio da caridade e um resumo de todos os deveres que o homem deve ter para com Deus, para consigo mesmo e para com o próximo. Ela não foi ensinada por qualquer um, ela foi ensinada pelo próprio Cristo, então, precisamos refletir no seu significado, palavra por palavra e quando orarmos, que seja com muita fé e com sentimento de irmandade, refletindo sobre o que estamos dizendo, "não useis de vãs repetições” - Mateus, 6, 7-9.

Próxima semana refletiremos sobre a 2ª parte da Prece – As petições.

 

PRECE E VIBRAÇÕES –

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

E assim, Senhor Jesus, gratos somos pelos ensinamentos de hoje e por tudo que tem nos proporcionado e, com o coração repleto de gratidão vamos vibrando amorosamente por todos aqueles a quem muito amamos e por aqueles que necessitam mais do que nós.

Vibramos com muito amor e gratidão por nossos queridos, nossos familiares, que eles sejam envolvidos com Teu amor, que cada um possa receber as energias necessárias ao refazimento físico, mental e espiritual e que recebam através de Tuas mãos luminosas o bálsamo que cura, o lenitivo que acalma, a paz que tranquiliza.

Vibramos, pedindo por todos, encarnados e desencarnados, que passam pelas dores da alma, pelas dores da separação, dores do corpo físico, dores morais, que possam receber o lenitivo de que tanto necessitam.

Vibramos, por todos aqueles que estão desempregados; pelos que sofrem com solidão, com depressão, com a ausência de seus afetos, para que eles possam sentir neste momento as energias reconfortantes e encorajadoras.

Vibramos também pelos jovens, pelas crianças e por todos os idosos, que sejam sempre protegidos.

Vibramos Mestre Jesus, por todas as criaturas que, cheias de amor e boa vontade, querem praticar o bem, trabalhar em favor do próximo, que elas consigam realizar todo o bem que desejam fazer.

Mestre Amado que possamos sempre Te oferecer o coração puro e o pensamento elevado na oração.

Que os nossos sentimento se harmonizem com a Tua vontade, para que possamos, a cada dia, sermos instrumentos vivos e operosos da paz e do amor, do aperfeiçoamento e da alegria, de acordo com a Tua Lei.

Agradecemos Senhor, por todas as graças que nos foram enviadas neste momento de preces, momentos em que nossos espíritos entraram em comunhão convosco.

Agradecemos Teus mensageiros de Luz que sempre nos orientam.

Agradecemos Senhor Jesus, por ter-nos ensinado que, através da prece, recebemos o alimento necessário para a nossa sobrevivência espiritual.
Mas, ainda Te rogamos, para que nossas águas sejam fluidificadas, que contenham os medicamentos necessários para o reequilíbrio físico, espiritual e mental de todos nossos queridos e, que nos abençoe e nos fortaleça sempre.

Permaneça conosco, Senhor e que assim seja.

Graças a Deus, graças a Jesus.

 

Uma semana seja regada de paz e alegrias a todos.

Paz e Luz!

 

comments powered by Disqus