Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Estudo Semanal do Livro dos Espíritos.09/06/2016

Adauto Alves de Lima- ADDE - quinta-feira, 9 de junho de 2016
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo I - Dos Espíritos » Progressão dos Espíritos  
120. Todos os Espíritos passam pela fieira do mal para chegar ao bem?
“Pela fieira do mal, não; pela fieira da ignorância. ”
121. Por que é que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem e outros o do mal?
“Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, isto é, tendo tanta aptidão para o bem quanta para o mal. Os que são maus, assim se tornaram por vontade própria.”
122. Como podem os Espíritos, em sua origem, quando ainda não têm consciência de si mesmos, gozar da liberdade de escolha entre o bem e o mal? Há neles algum princípio, uma tendência qualquer que os encaminhe para uma senda de preferência a outra?
“O livre-arbítrio se desenvolve à medida que o Espírito adquire a consciência de si mesmo. Já não haveria liberdade, se a escolha fosse determinada por uma causa independente da vontade do Espírito. A causa não está nele, está fora dele, nas influências a que cede em virtude da sua livre vontade. É o que se contém na grande figura emblemática da queda do homem e do pecado original: uns cederam à tentação, outros resistiram.”
a) – Donde vêm as influências que sobre ele se exercem?
“Dos Espíritos imperfeitos que procuram apoderar-se dele, dominá-lo, e que rejubilam com o fazê-lo sucumbir. Foi isso o que se intentou simbolizar na figura de Satanás.”
b) – Tal influência só se exerce sobre o Espírito em sua origem?
“Acompanha-o na sua vida de Espírito, até que haja conseguido tanto império sobre si mesmo, que os maus desistem de obsidiá-lo.”
123. Por que há Deus permitido que os Espíritos possam tomar o caminho do mal?
“Como ousais pedir a Deus contas de Seus atos? Supondes poder penetrar-lhe os desígnios? Podeis, todavia, dizer o seguinte: a sabedoria de Deus está na liberdade de escolher que ele deixa a cada um, porquanto, assim, cada um tem o mérito de suas obras.”
124. Pois que há Espíritos que desde o princípio seguem o caminho do bem absoluto e outros o do mal absoluto, deve haver, sem dúvida, gradações entre esses dois extremos, não?
“Sim, certamente; os casos intermediários constituem a grande maioria.”
125. Os Espíritos que enveredaram pela senda do mal poderão chegar ao mesmo grau de superioridade que os outros?
“Sim; mas as eternidades lhes serão mais longas.”
Por estas palavras as eternidades se deve entender a idéia que os Espíritos inferiores fazem da perpetuidade de seus sofrimentos, cujo termo não lhes é dado ver, idéia que revive todas as vezes que sucumbem numa prova.
126. Chegados ao grau supremo da perfeição, os Espíritos que andaram pelo caminho do mal têm, aos olhos de Deus, menos mérito do que os outros?
“Deus olha de igual maneira para os que se transviaram e para os outros, e a todos ama com o mesmo coração. Aqueles são chamados maus, porque sucumbiram. Antes, não eram mais que simples Espíritos.”
127. Os Espíritos são criados iguais quanto às faculdades intelectuais?
“São criados iguais, porém, não sabendo donde vêm, preciso é que o livre-arbítrio siga seu curso. Eles progridem mais ou menos rapidamente em inteligência como em moralidade.”
Os Espíritos que desde o princípio seguem o caminho do bem nem por isso são Espíritos perfeitos. Não têm, é certo, maus pendores, mas precisam adquirir a experiência e os conhecimentos indispensáveis para alcançar a perfeição. Podemos compará-los a crianças que, seja qual for a bondade de seus instintos naturais, necessitam de se desenvolver e esclarecer, e que não passam, sem transição, da infância à madureza. Simplesmente, assim como há homens que são bons e outros que são maus desde a infância, também há Espíritos que são bons ou maus desde a origem, com a diferença capital de que a criança tem instintos já inteiramente formados, enquanto que o Espírito, ao formar-se, não é nem bom, nem mau; tem todas as tendências e toma uma ou outra direção, por efeito do seu livre-arbítrio.
 
TEXTOS RELACIONADOS:
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo I - Dos Espíritos » Escala espírita » Terceira ordem - Espíritos imperfeitos » 101-118- 122- 127-
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo II - Da encarnação dos Espíritos » Objetivo da encarnação » 132
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo IV - Da pluralidade das existências » Encarnação nos diferentes mundos » 178
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo VI - Da vida espírita » Escolha das provas » 262
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo VII - Da volta do Espírito à vida corporal » Esquecimento do passado » Esquecimento do passado
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo VII - Da volta do Espírito à vida corporal » Esquecimento do passado » 398
O Livro dos Espíritos » Parte Segunda - Do mundo espírita ou mundo dos Espíritos » Capítulo XI - Dos três reinos » Metempsicose » Metempsicose / 612
O Livro dos Espíritos » Parte Terceira - Das leis morais » Capítulo I - Da lei divina ou natural » Conhecimento da lei natural » Conhecimento da lei natural / 621 – O bem e o mal./ 634
O Livro dos Espíritos » Parte Terceira - Das leis morais » Capítulo IX - 8. Lei de igualdade » Desigualdade das aptidões » Desigualdade das aptidões /805
O Livro dos Espíritos » Parte Terceira - Das leis morais » Capítulo X - 9. Lei de liberdade » Conhecimento do futuro » Conhecimento do futuro /871
O Livro dos Espíritos » Parte Quarta - Das esperanças e consolações » Capítulo II - Das penas e gozos futuros » Duração das penas futuras » Duração das penas futuras / 1004
Revista Espírita 1858 » Outubro » Assassinato de cinco crianças problema moral
O que é o Espiritismo? » Capitulo III - Solução de alguns problemas pela Doutrina Espírita » Da alma » 112/114
Revista Espírita 1860 » Outubro » Dissertações espíritas » O castigo
Revista Espírita 1861 » Maio » Questões e problemas diversos
Revista Espírita 1861 » Agosto » Dissertações e ensinos espíritas » Os animais médiuns
Revista Espírita 1862 » Fevereiro » Sobre os instintos
Revista Espírita 1862 » Outubro » Arsène Gautier - Uma lembrança de um Espírito
Revista Espírita 1863 » Junho » Do princípio da não-retrogração do Espírito
Revista Espírita 1864 » Janeiro » Questões e problemas » Progresso nas primeiras encarnações
Revista Espírita 1864 » Março » Da perfeição dos seres criados
O Evangelho segundo o Espiritismo » Capítulo V - Bem-aventurados os aflitos » Motivos de resignação » Motivos de resignação
O Céu e o Inferno » Primeira Parte - Doutrina » Capítulo VIII - Os Anjos » Os anjos segundo o Espiritismo » Os anjos segundo o Espiritismo - 12
Revista Espírita 1868 » Novembro » Do pecado original segundo o Judaismo
 
 


Lima, Adauto Alves de

Fones: (17) 3232.3321 / 997911320

comments powered by Disqus