Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Honrai a Vosso Pai e a Vossa Mãe - itens 1 a 4 - segundas feiras, 12hs.

Departamento de Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 16 de maio de 2016

HORA DO EVANGELHO NO LAR  
“Honra a teu pai e a tua mãe, para teres uma dilatada vida sobre a Terra que o Senhor teu Deus te há de dar..” (Decálogo, Êxodo, XX: 12- ESE).

 

PRECE INICIAL

Queridos irmãos, que a Paz de Jesus envolva a todos neste momento. Vamos orar:

Neste momento, elevamos nossos pensamentos ao alto, asserenando nossos corações, tranquilizando nossas mentes e agradecendo a Jesus por nos dar a oportunidade do estudo edificante. Que a lição de hoje possa nos trazer o consolo e o fortalecimento para nossas fragilidades; que possamos compreendê-la e aplicá-la em nossas vidas.

Permita Mestre Jesus que nossos benfeitores espirituais estejam ao nosso lado amparando-nos, protegendo-nos e auxiliando-nos o entendimento.

E assim, em Teu Nome e em nome dos benfeitores responsáveis por esta tarefa de amor iniciamos as nossas reflexões.

Permaneça conosco Mestre amado e que assim seja.

Graças a Deus, Graças a Jesus.

 

MENSAGEM INICIAL

CREDORES NO LAR 

No devotamento, dos pais, todos os filhos são joias de luz, entretanto, para que compreendas certos antagonismos que te afligem no lar, é preciso saibas que, entre os filhos-companheiros, que te apoiam a alma, surgem os filhos credores, alcançando- te a vida, por instrutores de feição diferente.

Subtraindo-te aos choques de caráter negativo, no reencontro, preceitua a eterna bondade da Justiça Divina que a reencarnação funcione, reconduzindo-os à tua presença, através do berço.

É Por isso que, a princípio, não ombreiam contigo, em casa, como de igual para igual, porquanto reaparecem humildes e pequeninos.

Chegam frágeis e emudecidos, para que lhes ensines a palavra de apaziguamento e brandura.

Não te rogam a liquidação de débitos na intimidade do gabinete, e sim procuram te o colo para nova fase de entendimento.

Respiram-te o hálito e escoram-se em tuas mãos, instalando-se em teus passos, para a transfiguração do próprio destino. Embora desarmados, controlam-te os sentimentos. Não obstante dependerem de ti, alteram-te as decisões com simples olhar.

De doces inspiradores do carinho, passam, com o tempo, à condição de examinadores constantes de tua estrada.

Governam-te impulsos, fiscalizam-te os gestos, observam-te as companhias e exigem- te as horas.

Aprendem novamente na escola do mundo com o teu amparo, todavia, à medida que se desenvolvem no conhecimento superior, transformam-se em inspetores intransigentes do teu grau de instrução.

Muitas vezes choras e sofres, tentando adivinhar -lhes os pensamentos para que te percebam os testemunhos de amor.

Calas os próprios sonhos, para que os sonhos deles se realizem.

Apagas-te, a pouco a pouco, para que brilhem em teu lugar.

Recebes todas as dores que te impõem à alma, com sorrisos nos lábios, conquanto te amarfanhem o coração.

E nunca possuis o bastante para abrilhantar-lhes a existência, de vez que tudo lhes dás de ti mesmo, sem faturas de serviço e sem notas de pagamento.

Quando te vejas, diante de filhos crescidos lúcidos, erguidos à condição de dolorosos problemas do espírito, recorda que são eles credores do passado a te pedirem o resgate de velhas contas.

Busca auxiliá-los e sustentá-los com abnegação e ternura, ainda que isso te custe todos os sacrifícios, porque, no justo instante em que a consciência te afirme tudo haveres efetuado para enriquecê-los de educação e trabalho, dignidade e alegria, terás conquistado em silêncio, o luminoso certificado de tua própria libertação.

Extraído do livro " O Livro da Esperança" – Emmanuel, psicografado por Chico Xavier

 

LEITURA DO EVANGELHO

CAPÍTULO XIV – HONRAI A VOSSO PÁI E A VOSSA MÃE

PIEDADE FILIAL – ITENS 1 A 4

 

1 – Sabes os mandamentos: não cometas adultérios; não mates; não furtes; não digas falso testemunho; não cometais fraudes; honra a teu pai e a tua mãe. (Marcos, X: 19; Lucas, XVIII: 20; Mateus, XIX: 19).

2 – Honra a teu pai e a tua mãe, para teres uma dilatada vida sobre a Terra que o Senhor teu Deus te há de dar. (Decálogo, Êxodo, XX: 12)

 
PIEDADE FILIAL

3 – O mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe”, é uma consequência da lei geral da caridade e do amor ao próximo, porque não se pode amar ao próximo sem amar aos pais; mas o imperativo honra implica um dever a mais para com eles: o da piedade filial. Deus quis demonstrar, assim, que o amor é necessário juntar o respeito, a estima, a obediência e a condescendência, o que implica a obrigação de cumprir para com eles, de maneira mais rigorosa, tudo o que a caridade determina em relação ao próximo. Esse dever se estende naturalmente às pessoas que se encontram no lugar dos pais, e cujo mérito é tanto maior, quanto o devotamento é para elas menos obrigatório. Deus pune sempre de maneira rigorosa toda violação desse mandamento.

Honrar ao pai e à mãe não é somente respeitá-los, mas também assisti-los nas suas necessidades; proporcionando-lhes o repouso na velhice; cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância.

É sobretudo para com os pais sem recursos que se demonstra a verdadeira piedade filial. Satisfariam a esse mandamento os que julgam fazer muito, aos lhes darem o estritamente necessário para que não morram de fome, enquanto eles mesmos de nada se privam? Relegando-os aos piores cômodos da casa, apenas para não deixá-los na rua, e reservando para si mesmos os melhores aposentos, os mais confortáveis? E ainda bem quando tudo isso não é feito de má vontade, sendo os pais obrigados a pagar o que lhes resta da vida com a carga dos serviços domésticos! É então justo que pais velhos e fracos tenham de servir a filhos jovens e fortes? A mãe lhe teria cobrado o leite, quando ainda estavam no berço? Teria, por acaso, contado as suas noites de vigília, quando eles ficavam doentes, os seus passos para proporcionar-lhes o cuidado necessário? Não, não é só o estritamente necessário que os filhos devem aos pais pobres, mas também, tanto quanto puderem, as pequenas alegrias do supérfluo, as amabilidades, os cuidados carinhosos, que são apenas os juros do que receberam, o pagamento de uma dívida sagrada. Essa, somente, é a piedade filial aceita por Deus.

Infeliz, portanto, aquele que se esquece da sua dívida para os que o sustentaram na infância, os que, com a vida material, lhe deram também a vida moral, que frequentemente se impuseram duras privações para lhe assegurar o bem-estar! Ai do ingrato, porque ele será punido pela ingratidão e o abandono; será ferido nas suas mais caras afeições, às vezes desde a vida presente, mas de maneira certa noutra existência, em que terás de sofrer o que fez os outros sofrerem!

Certos pais, é verdade, descuidam dos seus deveres, e não são para os filhos o que deviam ser. Mas é a Deus que compete puni-los, e não aos filhos. Não cabe a estes censurá-los, pois que talvez eles mesmos fizeram por merecê-los assim. Se a caridade estabelece como lei que devemos pagar o mal com o bem, ser indulgentes para as imperfeições alheias, não maldizer do próximo, esquecer e perdoar as ofensas, e amar até mesmo os inimigos, quanto essa obrigação se faz ainda maior em relação aos pais! Os filhos, devem, por isso mesmo, tomar como regra de conduta para com os pais todos os preceitos de Jesus referentes ao próximo, e lembrar que todo procedimento condenável em relação aos estranhos, mais condenável se torna para com os pais. Devem lembrar que aquilo que no primeiro caso seria apenas uma falta, pode tornar-se um crime no segundo, porque, neste, à falta de caridade se junta à ingratidão.

4 – Deus disse: “Honrarás a teu pai e a tua mãe, para teres uma dilatada vida sobre a Terra que o Senhor teu Deus te há de dar”. Mas por que promete como recompensa a vida terrena e não a celeste? A explicação se encontra nestas palavras: “Que Deus vos dará”, suprimidas na forma moderna do decálogo, o que lhe desfigura o sentido. Para compreendermos essas palavras, temos de nos reportar à situação e às ideias dos hebreus, na época em que elas foram pronunciadas. Eles ainda não compreendiam a vida futura. Sua visão não se estendia além dos limites da vida física. Por isso, deviam ser mais fortemente tocados pelas coisas que viam, do que pelas invisíveis. Eis o motivo porque Deus lhes fala numa linguagem ao seu alcance, e, como as crianças, lhes apresentam como perspectiva aquilo que poderia satisfazê-los. Eles estavam então no deserto. A Terra que Deus lhes dará é a Terra da Promissão, alvo de suas aspirações. Nada mais desejavam e Deus lhes diz que viverão nela por longo tempo, o que significa que a possuirão por longo tempo, se observarem os seus mandamentos.

Mas, ao advento de Jesus, suas ideias estavam mais desenvolvidas. Tendo chegado o momento de lhes ser dado um alimento menos grosseiro, Jesus os inicia na vida espiritual, ao dizer: “Meu Reino não é deste mundo; é nele, e não sobre a Terra, que recebereis a recompensa das vossas boas obras”. Com estas palavras, a Terra da Promissão material se transforma numa pátria celeste. Da mesma maneira, quando lhes recorda a necessidade de observação do mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe”, já não é mais a Terra que lhes promete, mas o céu. (Caps. II e III).

 

REFLEXÕES:  O capítulo de hoje é muito importante para nossas reflexões, esse assunto nos traz um tema que diz respeito a todos nós. Porque todos nós somos filhos, quer os nossos pais estejam vivos ou tenham partido para o plano espiritual. Todos, indistintamente, somos filhos. Honrai vosso pai e vossa mãe.... todos nós sabemos que este é 4º mandamento da Lei de Deus, recebido no Monte Sinai.  Mas o que significa honrar? honrar significa reverenciar, estimar, valorizar. Honrar é dar respeito não apenas pelo mérito, mas pela posição. O Evangelho nos diz que honrar é uma consequência da Lei Geral de Amor ao Próximo, não podemos amar ao nosso próximo sem amar nosso pai e nossa mãe”. Porém, a palavra “honrar” encerra um dever a mais para com eles: o da piedade filial. Mas o que é piedade filial? Será que piedade é ter pena? Não, não é isso. Piedade filial significa que, ao amor que devemos ter para com os nossos pais, é necessário acrescentarmos o respeito, a atenção, a consideração e a submissão. E não é apenas respeitá-los, mas é também lhes proporcionar o descanso na velhice, é assistir aos nossos pais na necessidade e é ainda cercá-los de atenção, de carinho, de solicitude. E o evangelho nos diz mais, nos diz que a piedade filial aceita por Deus não é aquela que se resume simplesmente em dar o necessário para os pais. É preciso que os filhos, tanto quanto possível, os cumulem com cuidados delicados, em retribuição ao que receberam desses mesmos pais na infância e na juventude, como pagamento de uma dívida sagrada. Essa é “a verdadeira piedade filial aceita por Deus”.

 

VIBRAÇÕES

Mestre Jesus, agradecidos por estes momentos de paz e reflexão, por mais este dia em nossas vidas, encerramos este nosso encontro Senhor, pedindo que ampare nosso propósito de servir.

De toda a alma te rogamos: abençoa os que sofrem! Dá a cada sofredor a suavização de suas dores, um bálsamo para suas tristezas!
Senhor, rogamos por todos os que estão nos hospitais, nos lares, nos abrigos, pelas ruas ou em casas de repouso, pelos enfermos, que as nossas vibrações possam levar até eles um pouco de alívio para seus males e se for permitido, que recuperem a saúde.
Vibramos por todas as crianças, pelos jovens, por todos aqueles que estão em busca de um emprego, nós Vos pedimos: que não lhes falte o amparo e a orientação espiritual!
Vibramos por todas as criaturas que querem praticar o bem, trabalhar em favor do próximo, que consigam realizar todo o bem que desejam e que saibamos ampará-las e cooperar com elas em suas tarefas caridosas.
Que a proteção divina se estenda a todos os lares, ao nosso também, que neles reinem o respeito, a harmonia, a ajuda mútua e o amor.

Que neste momento o nosso carinho, nosso amor envolva a todos os pais, encarnados e desencarnados, a todos os filhos também Senhor, que todos nós saibamos valorizar aqueles que nos abriram as portas da presente reencarnação e possamos com gratidão envolve-los em nossas vibrações.
Quanto a nós, Senhor, pedimos perdão por nossas falhas e Te pedimos que nos auxilie a desenvolver em nós as virtudes que colocaste dentro de nossa alma. Ajuda-nos a sermos mais serenos, compreensivos e fraternos uns com os outros, que possamos afastar de nossas mentes a negatividade, através de pensamentos de paz, serenidade, alegria e amor. Que possamos deixar o amor fluir, para que nosso sorriso seja puro, nosso olhar seja compassivo, nossa língua silencie a maldade e para que todos os nossos gestos estejam impregnados de muita ternura, principalmente para com aqueles que compartilham de nossa jornada.  E assim Senhor, nós Te Agradecemos por todas as bênçãos que sempre nos dás. Obrigada, Senhor.

Que assim seja... Graças a Deus, Graças a Jesus.

                    

PRECE FINAL

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

 

Deus Nosso Pai, Jesus Amigo, ao encerrarmos nossos estudos, elevamos nossos pensamentos e sentimentos em gratidão, pedimos ainda aos benfeitores que fluidifiquem nossas águas com os medicamentos necessários para nossas dores físicas e espirituais. Que a perseverança seja constante em nossas vidas. Que a fé seja o nosso alicerce e o Amor de Deus nossa Sustentação. Que nossa semana seja abençoada, que possamos ser auxiliados sempre em nossa caminhada e que tenhamos em nós força e coragem para com as dificuldades de nossos dias. Graças vos damos Senhor pelo privilégio do trabalho no bem, pelo estudo edificante e principalmente pela Tua presença em nossas vidas. Assim seja!

 

Que assim seja. Graças a Deus. Graças a Jesus.

 

Uma feliz semana a todos!

Paz e Luz!

comments powered by Disqus