Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Bem e Mal Sofrer - segundas-feiras Às 12hs

Departamento do Evangelho no Lar - CEFA - segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

HORA DO EVANGELHO NO LAR    
“Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados...” Mateus 5:4

PRECE

Jesus amigo, mais uma vez, aqui reunidos em Teu nome, rogando ao Teu coração generoso que nos ampare na realização da tarefa de hoje.

Ampare a todos que aqui estão e aos seus familiares e amigos. Envolva a todos para que juntos possamos ser inspirados por Teus mensageiros de amor. 
Que  ao  término de nossos estudos, possamos estar pacificados e mais esclarecidos, compreendendo melhor as dificuldades dos nossos semelhantes, compreendendo melhor a vida, compreendendo melhor nossas próprias fragilidades.
Que em Teu nome Mestre Jesus, em nome da espiritualidade amiga que coordena esta tarefa, mas sobretudo em nome de Deus, iniciamos mais um Estudo do Evangelho.
Que assim seja, graças a Deus, graças a Jesus.

 

MENSAGEM INICIAL

Bem e Mal Sofrer

Afasta a nuvem cinzenta do pessimismo e da queixa, enquanto a dor se demora contigo, concedendo ao sol da esperança a oportunidade de fulgir ante os teus olhos acostumados às sombras das recriminações.

Enquanto não te disponhas ao combate contra a auto piedade e a autoflagelação por morbidez, ninguém poderá fazer nada por ti.

Observa o voo ligeiro da ave colorida, o desabrochar de uma flor, a vitória da germinação de uma semente, o canto de delicado filete de água na frincha da rocha, o triunfo da árvore, o milagre do pão, o deslumbramento do nascente, o ritmo da vida nos insetos, nos animais, em toda a parte, e encontrarás as mãos divinas agindo, produzindo, zelando...

A inteligência e o «dom» do raciocínio não te foram concedidos através das múltiplas etapas da evolução para que somente reclames, amaldiçoes, azorragues...

Não lances invectivas contra isto ou aquilo, antes faze algo para corrigir seja o que for que não esteja certo. Se o dever que reclamas nos outros se corporificasse em teus atos, outros possivelmente aprenderiam contigo optimismo e ação, produzindo para melhorar todas as coisas que podem e devem ser melhoradas.

Quando te entregas ao desânimo e o espalhas, conspiras contra a ordem natural, o equilíbrio e o progresso da vida. É pernicioso mal sofrer, mal baratando a oportunidade de aproveitar bem a lição do sofrimento.

Procuras sofismar quanto ao bem e ao mal, tentando fugir à responsabilidade.

O bem é tudo quanto estimula a vida, produz para a vida, respeita e dignifica a vida.

O mal é toda ação mental, física ou moral que atinge a vida perturbando-a, ferindo-a matando-a.

Se cultivas os cogumelos do pessimismo, respiras, evidentemente, em clima de sombras morais e umidade psíquica asfixiante.

Inadvertidamente enfermas e por irresponsabilidade laboras e colaboras no mal.

Tens nos olhos duas estrelas engastadas no céu da face. Põe-nos a derramar a claridade da visão feliz pela senda por onde segues, apesar de estares sofrendo.

Utiliza as mãos no algo produzir, embora sob acúleos de dores.

Ouve em derredor! Há mutilados esperando tuas mãos e teus pés, cegos do corpo e cegos da razão, necessitados dos teus olhos e da claridade do teu discernimento, mais sofredores do que tu próprio.

Acalma o vozerio agitado da tua mente alvoroçada pela revolta, ou desperta-a, adormentada que se encontre nos tecidos da comodidade, da preguiça ou do cansaço de sofrer, e escutarás, sim, mil vozes, algumas tão debilitadas pela fraqueza que será mister um grande esforço para identificá-las, chorando e rogando socorro baixinho às fortunas que possuis no corpo e no espírito e teimas por desperdiçar, ignorando-as.

Não te revoltes no crisol das dores, mesmo que sejam dores reais. A dor chega para que o espírito triunfe sobre ela, ao invés de ser por ela esmagado.

Mas se tuas legítimas aflições forem muito grandes e esmagadoras, evoca Jesus, quando na via dolorosa , esmagado sob a cruz, e no entanto aconselhando e advertindo as «mulheres piedosas de Jerusalém», ou cravejado, logo depois, no madeiro de infâmia, convocando dois estranhos e desafortunados salteadores, neles semeando as esperanças do Reino de Deus, instantes antes do« momento extremo», e refaze as tuas forças, reconsidera a situação, recompõe os « joelhos desconjuntados» e avança, confiante, cantando a certeza de que, após a partida libertadora, uma madrugada sublime te alcançará, fazendo-te ditoso por fim, vitorioso com o bem.

Joanna de Ângelis, psicografada por Divaldo do livro Lampadário Espírita.

 

LEITURA DO EVANGELHO

Capítulo V – Bem aventurados os aflitos

Instruções dos Espíritos

Ítem 18  – Bem Sofrer e Mal Sofrer

18 – Quando Cristo disse: “Bem-aventurados os aflitos, porque deles é o Reino dos Céus”, não se referia aos sofredores em geral, porque todos os que estão neste mundo sofrem, quer estejam num trono ou na miséria, mas ah!, poucos sofrem bem, poucos compreendem que somente as provas bem suportadas podem conduzir ao Reino de Deus. O desânimo é uma falta; Deus vos nega consolações, se não tiverdes coragem. A prece é um sustentáculo da alma, mas não é suficiente por si só: é necessário que se apoie numa fé ardente na bondade de Deus. Tendes ouvido frequentemente que Ele não põe um fardo pesado em ombros frágeis. O fardo é proporcional às forças, como a recompensa será proporcional à resignação e à coragem. A recompensa será tanto mais esplendente, quanto mais penosa tiver sido a aflição. Mas essa recompensa deve ser merecida, e é por isso que a vida está cheia de tribulações.

O militar que não é enviado à frente de batalha não fica satisfeito, porque o repouso no acampamento não lhe proporciona nenhuma promoção. Sede como o militar, e não aspires a um repouso que enfraqueceria o vosso corpo e entorpeceria a vossa alma. Ficai satisfeitos, quando Deus vos envia à luta. Essa luta não é o fogo das batalhas, mas as amarguras da vida, onde muitas vezes necessitamos de mais coragem que um combate sangrento, pois aquele que enfrenta firmemente o inimigo poderá cair sob o impacto de um sofrimento moral. O homem não recebe nenhuma recompensa por essa espécie de coragem, mas Deus lhe reserva os seus louros e um lugar glorioso. Quando vos atingir um motivo de dor ou de contrariedade, tratai de elevar-vos acima das circunstâncias. E quando chegardes a dominar os impulsos da impaciência, da cólera ou do desespero, dizei, com justa satisfação: “Eu fui o mais forte”!

Bem-aventurados os aflitos, pode, portanto, ser assim traduzidos: Bem-aventurados os que têm a oportunidade de provar a sua fé, a sua firmeza, a sua perseverança e a submissão à vontade de Deus, porque eles terão centuplicado as alegrias que lhes faltam na Terra, e após o trabalho virá o repouso.

Lacordaire, Havre - 1863

REFLEXÕES: As aflições, os sofrimentos fazem parte do viver do Espírito mais próximo à animalidade do que da angelitude, pela sua imperfeição, ainda preso aos valores materiais, aos seus instintos. Todos os que vivem em mundos de expiações e provas passam pela dor e pelo sofrimento, pela sua própria condição de imperfeição moral. A maneira como o Espírito vive essas naturais atribulações - assim podemos dizer - é que faz a diferença. Daí, o bem sofrer e o mal sofrer. Bem sofre aquele que, confiando em Deus e nas Suas leis, compreende e aceita a justiça e a necessidade dessas atribulações, não se rebelando, não se desesperando; mantendo-se equilibrado, espiritualmente falando, sentindo e fazendo o melhor que pode para superar as dificuldades, colabora para amenizá-las ou eliminá-las mais depressa. Resignar-se, na compreensão da justiça e amor de Deus nas aflições, é diminui-las na sua intensidade, é manter-se equilibrado para reagir no bem, apesar delas; é compreendê-las como oportunidades do exercício da paciência, da tolerância, da humildade, da coragem, da confiança em Deus e em si, na superação e aproveitamento dessas atribulações. Foi para esses que Jesus disse : " Bem-aventurados os aflitos, porque deles é o Reino dos Céus."

 

VIBRAÇÕES

Com nossos pensamentos elevados, envolvidos em vibrações de amor e paz, pedimos:

Jesus, Médico Sublime, pedimos que abençoe e suavize as dores de todos aqueles que estão sofrendo internados nos hospitais, muitos em suas próprias casas, outros nos asilos ou pelas ruas..., sofrendo dores físicas e espirituais, que eles tenham o lenitivo para suas dores.

Guia Senhor a todos aqueles que se acham perdidos em meio aos vícios, a solidão, a depressões, desconsolados e desamparados de si mesmos. Tenha piedade deles Senhor. Que Teu roteiro de amor os guie para os caminhos da recuperação.

Que as crianças e os jovens recebam sempre amor e orientação que os conduza sempre pelos caminhos do bem.

Abençoe e Proteja nossa Casa Espírita e todos seus colaboradores, para que possa continuar sendo o Porto Seguro de Almas Aflitas que veem em busca de socorro e amparo espiritual.

Abençoe nossos familiares, aos amigos e principalmente Mestre, abençoe aqueles que ainda não te conhecem e não aceitam teus ensinamentos.

Que a Proteção Divina se estenda por todos os lares, ao nosso também. Que neles reinem o respeito, a harmonia e o amor.

Por fim Mestre Amigo, te pedimos agora por nós mesmos, compadece-te de nossas fraquezas, de nossas fragilidades e ampara-nos sempre.

Que a tua Paz nos envolva a todos.


PRECE FINAL

"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]

Pai Nosso que se encontra sempre a velar por cada um de seus filhos...
Aqui estamos novamente a lhe rogar:
Renova as nossas esperanças para que a cada dia, não nos desesperemos diante das dificuldades a serem enfrentadas.
Enxuga as nossas lágrimas quando fraquejarmos e realmente pensarmos em desistir.
Mostra-nos uma luz a nos guiar quando nos encontrarmos perdidos pelos caminhos dos desentendimentos.

Dai-nos a paciência diante dos conflitos que nascerem a nossa frente.
Dai-nos também o pão da vida que alimenta nosso Espírito.
Fluidificai nossas águas com o remédio abençoado que alivia nossas dores, o bálsamo que suaviza nossas inquietações. 
Apresenta-nos a resignação quando não pudermos modificar uma situação.
Abençoa nossos passos para que não se tornem vacilantes diante dos espinhos que encontrarão.

Envolve-nos em seu amparo nos instantes em que mais nos sentirmos sozinhos, inspirando-nos diante dos momentos de indecisão.

Perdoa os nossos erros e novamente multiplica nossas forças para que possamos reconhecer o verdadeiro caminho da salvação.

Livra-nos das garras do medo, auxiliando-nos a combater o mal que tenta nos dominar.

Envolve-nos em sua luz de proteção, fazendo assim com que possamos caminhar com segurança em sua direção.
Permanece Pai, a abençoar a nossa existência, porque infinita é a sua misericórdia.
Que assim seja! 

Graças a Deus, graças a Jesus.

 

Muita saúde, paz e alegrias a todos!

Paz e Luz!

comments powered by Disqus