Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Cap. V - itens 6 e 7 Causas Anteriores das Aflições - Todas as segundas.

Centro Espírita Francisco de Assis - Depto do Evangelho no Lar - segunda-feira, 28 de setembro de 2015

HORA DO EVANGELHO NO LAR   

“Perdoai-me, Senhor, porque eu pequei”.
” (ESE - Cap. V – item 6)


PRECE INICIAL
Queridos irmãos, que a Paz de Jesus nos envolva e nos ampare neste nosso encontro de corações. Vamos orar:
Mestre Jesus que conheceis todas as nossas imperfeições, que nos ama profundamente, auxiliai-nos a compreender as leis divinas.
Faz-nos entender Teu Evangelho de Luz, ensina-nos a aplicá-lo em nossas vidas, afim de que sejamos cada dia melhores do que fomos ontem. Auxilia-nos Mestre a reconhecermos e corrigirmos nossas falhas, nossas imperfeições.
Dai-nos força e coragem para sermos humildes e mostrai-nos o caminho da iniciativa para solucionarmos nossas dificuldades, mostrai-nos o caminho da persistência, para evitarmos o desânimo, mostrai-nos o caminho da caridade, para evitarmos o egoísmo e podermos dividir os benefícios que recebemos todos os dias.
Auxilia-nos a sermos merecedores do Teu Amor e seja Senhor, sempre, nossa fonte de inspiração.
Que assim seja.
Graças a Deus. Graças a Jesus. (se preferir faça sua prece do coração)

LEITURA INICIAL

Seu hoje, sua vida
Marcos Prisco, através de Divaldo Pereira Franco, do livro Luz Viva.

Dê valor à sua vida, não a malbaratando por motivo algum.
Cada dia deve ser vivido com intensidade proveitosa, superior...
Não transfira de uma para outra oportunidade a mágoa ou a queixa. Supere-as no nascedouro, a fim de preservar a sua saúde.
Seus atos — sua vida.

O seu não é o mais grave problema dentro os muitos que existem. Há-os menores, é certo, mas também existem outros muitíssimos mais graves e intricados do que o seu.
O problema é efeito natural do processo de evolução, que todas as pessoas enfrentam.
Não se lamente, portanto, nem busque compaixão.
Seu comportamento emocional e moral — sua vida.

Questões de saúde-doença são uma constante na vida de todos os seres.
Desgaste orgânico, infecção, traumatismo, deficiência, são resultados do aprimoramento espiritual, mediante as vicissitudes orgânicas e psíquicas.
Não obstante, você não é o único.
Ao invés de esmorecer na dor, transforme a sua enfermidade em élan de sustentação de outros pacientes iguais ou mais doentes do que você.
Sua mente — sua vida.

Cinja-se a um programa de serviço beneficente e verá que o seu tempo de dor diminui e o de amor aumenta.
Negue-se à derrota, fomentando vitórias de pequena monta e ganhará a guerra contra o sofrimento.
O que você prefere, mentalmente, embora sem consciência disso, materializa-se, faz-se realidade.
Seus desejos — sua vida.

Sua vida é bênção de Deus a benefício do ser espiritual que você é, imortal, fadado à perfeição.
Se, por enquanto, chovem calhaus sobre sua cabeça e se multiplicam cardos ferindo-lhes os pés, ou se traz cravados no cerne do ser punhais de angústia, recomponha-se e produza causas novas, que anularão tais efeitos e gerarão futuras alegrias.
Sua sementeira — sua vida.

Arme-se de coragem, seja qual for a faixa em que você se encontre em trânsito de experiência evolutiva.
Seu esforço — sua vida.
Hoje, você é o que fez de si mesmo, porém, será amanhã o que hoje realiza da oportunidade com que se defronta.
Seu hoje — sua vida.

LEITURA DO EVANGELHO
Capítulo V – Bem aventurados os aflitos
– itens 6 e 7 – Causas Anteriores da Aflição. (se quiserem completar, podem ler até o item 10)

6 – Mas se há males, nesta vida, de que o homem é a própria causa, há também outros que, pelo menos em aparência, são estranhos à sua vontade e parecem golpeá-lo por fatalidade. Assim, por exemplo, a perda de entes queridos e dos que sustentam a família. Assim também os acidentes que nenhuma previdência pode evitar; os revezes da fortuna, que frustram todas as medidas de prudência; os flagelos naturais; e ainda as doenças de nascença, sobretudo aquelas que tiram aos infelizes a possibilidade de ganhar a vida pelo trabalho: as deformidades, a idiota, a imbecilidade etc.
Os que nascem nessas condições, nada fizeram, seguramente, nesta vida, para merecer uma sorte triste, sem possibilidade de compensação, e que eles não puderam evitar, sendo impotentes para modificá-las e ficando à mercê da comiseração pública. Por que, pois, esses seres tão desgraçados, enquanto ao seu lado, sob o mesmo teto e na mesma família, outros se apresentam favorecidos em todos os sentidos?
Que dizer, por fim, das crianças que morrem em tenra idade e só conheceram da vida o sofrimento? Problemas, todos esses, que nenhuma filosofia resolveu até agora, anomalias que nenhuma religião pode justificar, e que seriam a negação da bondade, da justiça e da providência de Deus, segundo a hipótese da criação da alma ao mesmo tempo em que o corpo, e da fixação irrevogável da sua sorte após a permanência de alguns instantes na Terra. Que fizeram elas, essas almas que acabam de sair das mãos do Criador, para sofrerem tantas misérias no mundo, e receberem, no futuro, uma recompensa ou uma punição qualquer, se não puderam seguir nem o bem nem o mal?
Entretanto, em virtude do axioma de que todo efeito tem uma causa, essas misérias são efeitos que devem ter a sua causa, e desde que se admita a existência de um Deus justo, essa causa deve ser justa. Ora a causa sendo sempre anterior ao efeito, e desde que não se encontra na vida atual, é que pertence a uma existência precedente. Por outro lado, Deus não podendo punir pelo bem o que se fez, nem pelo mal que não se fez, se somos punidos, é que fizemos o mal. E se não fizemos o mal nesta vida, é que o fizemos em outra. Esta é uma alternativa a que não podemos escapar, e na qual a lógica nos diz de que lado está à justiça de Deus.
O homem não é, portanto, punido sempre, ou completamente punido, na sua existência presente, mas jamais escapa às conseqüências de suas faltas. A prosperidade do mau é apenas momentânea, e se ele não expia hoje, expiará amanhã, pois aquele que sofre está sendo submetido à expiação do seu próprio passado. A desgraça que, à primeira vista, parece imerecida, tem portanto a sua razão de ser, e aquele que sofre pode sempre dizer: “Perdoai-me, Senhor, porque eu pequei”.
7 – Os sofrimentos produzidos por causas anteriores são sempre, como os decorrentes de causas atuais, uma conseqüência natural da própria falta cometida. Quer dizer que, em virtude de uma rigorosa justiça distributiva, o homem sofre aquilo que fez os outros sofrerem. Se ele foi duro e desumano, poderá ser, por sua vez, tratado com dureza e desumanidade; se foi orgulhoso, poderá nascer numa condição humilhante; se foi avarento, egoísta, ou se empregou mal a sua fortuna, poderá ver-se privado do necessário; se foi mau filho, poderá sofrer com os próprios filhos; e assim por diante.
É dessa maneira que se explicam, pela pluralidade das existências e pelo destino da Terra, como mundo expiatório que é, as anomalias da distribuição da felicidade e da desgraça, entre os bons e os maus neste mundo. Essa anomalia é apenas aparente, porque só encaramos o problema em relação à vida presente; mas quando nos elevamos, pelo pensamento, de maneira a abranger uma série de existências, compreendemos que a cada um é dado o que merece, sem prejuízo do que lhe cabe no Mundo dos Espíritos, e que a justiça de Deus nunca falha.
O homem não deve esquecer-se jamais de que está num mundo inferior, onde só é retido pelas suas imperfeições. A cada vicissitude, deve lembrar que,se estivesse num mundo mais avançado, não teria de sofrê-la, e que dele depende não voltar a este mundo, desde que trabalhe para se melhorar.

REFLEXÕES: faça aqui suas reflexões.
Texto auxiliar: No Livro: “Momento com Chico”, de ADELINO DA SILVEIRA, Chico dizia: “Costumamos exagerar muito a questão das dificuldades e do sofrimento, É preciso ver as coisas sob outros ângulos. Muitas vezes as dificuldades são cercas de Deus para que erremos menos. Lembremos sempre: A cada um, segundo suas obras.
Precisamos despertar para os valores espirituais, precisamos ter força e coragem, vontade e disposição para que possamos caminhar rumo a nossa evolução espiritual com amor, perseverança e bom ânimo sempre. Jesus nos disse: No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo. (João 16:33)

VIBRAÇÕES E PRECE FINAL
Com muita gratidão, vamos elevando nossos pensamentos e sentimentos a Jesus agradecendo por estar sempre ao nosso lado, nos protegendo e amparando, nos fortalecendo.
Rogamos Mestre Querido que abençoe e fortaleça nosso propósito de nos melhorarmos, dê-nos sempre senhor força e coragem para enfrentarmos os desafios de nossos dias.
Abençoe e proteja Senhor a todos os dirigentes espíritas, nossa Casa Espírita e a todos os trabalhadores e voluntários das lides espíritas. Oramos e vibramos em favor da Paz Mundial, da harmonia entre todos os povos e por nosso Brasil. Que nossas vibrações cheguem até nossos irmãos que estão em sofrimento, seja onde for, encarnados ou desencarnados, que recebam o lenitivo para suas dores. Vibramos por todos os lares da Terra e pelo nosso também, para que a paz, o amor e a harmonia estejam sempre presente. Vibramos amorosamente pelos nossos familiares e amigos para que sejam sempre fortalecidos na fé e no amor e vibramos finalmente por nós mesmos para termos sempre discernimento em nossas ações e decisões.
E assim, agradecidos, encerramos nossas reflexões de hoje.
Que as doces vibrações de nosso Mestre continuem a nos envolver no decorrer desta semana e que a Tua Paz esteja sempre conosco. Obrigada Jesus. Que assim seja.

Uma semana de bênçãos de paz, de amor e de alegrias a todos.
Bj carinhoso a todos, até a próxima semana.
Paz e Luz.
Depto de Evangelho no Lar - CEFA.

comments powered by Disqus