Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Cap. I - item 3 e 4 - O Cristo- Todas as segundas - 12 hs.

Centro Espírita Francisco de Assis - Depto do Evangelho no Lar - segunda-feira, 21 de setembro de 2015

HORA DO EVANGELHO NO LAR
“Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo” (ESE - Cap. I - item: O Cristo)

PRECE INICIAL
Queridos irmãos, que a Paz de Jesus nos envolva e nos abençoe neste nosso encontro de corações.
Vamos elevando nossos pensamentos e sentimentos a Deus, o Pai da vida, agradecendo por tanto que temos recebido, inclusive a oportunidade da presente reencarnação.
Ao nosso Mestre Jesus, agradecemos pelo amparo e a proteção de todos os dias e pedimos que continue a guiar nossos passos, iluminar nossos caminhos, para que em nossas incertezas e fragilidades, seja Senhor, o nosso apoio e nossa segurança. Fortaleça nossa vigilância, para que não venhamos a cair em tentações. Dai-nos força e coragem para vencermos nossas imperfeições e continuarmos perseverantes no caminho do bem. Divino amigo! Auxilia-nos o entendimento, para que possamos aprender um pouco mais e que possamos ser cada dia melhores do que fomos ontem, fortalecidos na Fé e no Amor que nos ensinou.
E assim, em Teu nome, Mestre Jesus, iniciamos os estudos de hoje.
Que assim seja. (se preferir, faça sua prece do coração, fale com Jesus, ele te compreenderá...tenha fé.)

LEITURA INICIAL
Jesus veio.
"Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens." - Paulo. (FILIPENSES, capítulo 2, versículo 7.)
Muitos discípulos falam de extremas dificuldades por estabelecer boas obras nos serviços de confraternização evangélica, alegando o estado infeliz de ignorância em que se compraz imensa percentagem de criaturas da Terra.
Entretanto, tais reclamações não são justas.
Para executar sua divina missão de amor, Jesus não contou com a colaboração imediata de Espíritos aperfeiçoados e compreensivos e, sim, "aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens".
Não podíamos ir ter com o Salvador, em sua posição sublime; todavia, o Mestre veio até nós, apagando temporariamente a sua auréola de luz, de maneira a beneficiar-nos sem traços de sensacionalismo.
O exemplo de Jesus, nesse particular, representa lição demasiado profunda.
Ninguém alegue conquistas intelectuais ou sentimentais como razão para desentendimento com os irmãos da Terra.
Homem algum dos que passaram pelo orbe alcançou as culminâncias do Cristo. No entanto, vemo-lo à mesa dos pecadores, dirigindo-se fraternalmente a meretrizes, ministrando seu derradeiro testemunho entre ladrões.
Se teu próximo não pode alçar-se ao plano espiritual em que te encontras, podes ir ao encontro dele, para o bom serviço da fraternidade e da iluminação, sem aparatos que lhe ofendam a inferioridade.
Recorda a demonstração do Mestre Divino.
Para vir a nós, aniquilou a si próprio, ingressando no mundo como filho sem berço e ausentando-se do trabalho glorioso, como servo crucificado.
XAVIER, Francisco Cândido. Caminho, Verdade e Vida. Pelo Espírito Emmanuel. 28.ed. Brasília: FEB, 2009. Capítulo 8.

LEITURA DO EVANGELHO
Capítulo I - Não vim destruir a Lei
Item – O Cristo.
3 – Jesus não veio destruir a lei, o que quer dizer: a lei de Deus. Ele veio cumpri-la, ou seja: desenvolvê-la, dar-lhe o seu verdadeiro sentido e apropriá-la ao grau de adiantamento dos homens. Eis porque encontramos nessa lei o princípio dos deveres para com Deus e para com o próximo, que constitui a base de sua doutrina. Quanto às leis de Moisés propriamente ditas, ele, pelo contrário, as modificou profundamente, no fundo e na forma. Combateu constantemente o abuso das práticas exteriores e as falsas interpretações, e não podia fazê-las passar por uma reforma mais radical do que as reduzindo a estas palavras: “Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo”, e ao acrescentar: “Esta é toda a lei e os profetas”.
Por estas palavras: “O céu e a terra não passarão, enquanto não se cumprir até o último jota”, Jesus quis dizer que era necessário que a lei de Deus fosse cumprida, ou seja, que fosse praticada sobre toda a terra, em toda a sua pureza, com todos os seus desenvolvimentos e todas as suas consequências. Pois de que serviria estabelecer essa lei, se ela tivesse de ficar como privilégio de alguns homens ou mesmo de um só povo? Todos os homens, sendo filhos de Deus, são, sem distinções, objetos da mesma solicitude.
4 – Mas o papel de Jesus não foi simplesmente o de um legislador moralista, sem outra autoridade que a sua palavra. Ele veio cumprir as profecias que haviam anunciado o seu advento. Sua autoridade decorria da natureza excepcional do seu Espírito e da natureza divina da sua missão. Ele veio ensinar aos homens que a verdadeira vida não está na Terra, mas no Reino dos Céus, ensinar-lhes o caminho que os conduz até lá, os meios de se reconciliarem com Deus, e os advertir sobre a marcha das coisas futuras, para o cumprimento dos destinos humanos. Não obstante, ele não disse tudo, e sobre muitos pontos limitou-se a lançar o germe de verdades que ele mesmo declarou não poderem ser então compreendidas. Falou de tudo, mas em termos mais ou menos claros, de maneira que, para entender o sentido oculto de certas palavras, era preciso que novas ideias e novos conhecimentos viessem dar-nos a chave. Essas ideias não podiam surgir antes de um certo grau de amadurecimento do espírito humano. A ciência devia contribuir poderosamente para o aparecimento e o desenvolvimento dessas ideias. Era preciso, pois, dar tempo à ciência para progredir.

REFLEXÕES: faça aqui suas reflexões.
Texto auxiliar: Jesus vem, não para destruir a Lei, mas para nos mostrar a vivenciar as leis, para nos mostrar o verdadeiro sentido do amor, pois a base da doutrina do Cristo é o Amor, o Amor a Deus e ao Próximo. Jesus, então, foi o iniciador da moral mais pura e sublime, que transforma os homens, que transforma o mundo, que renova, que aproxima uns dos outros, tornando todos irmãos. Pensemos: o que estamos fazendo com nossa vida, com a oportunidade que nos foi dada, o que estamos fazendo com os ensinamentos que nos foram dados?
Lembremos sempre, somos todos capazes de sermos pessoas melhores e Jesus está sempre ao nosso lado, nos amparando e nos orientando.

VIBRAÇÕES E PRECE FINAL
Mestre Jesus, agradecidos por estes momentos de paz e reflexão, em que estivemos reunidos através do meio virtual, encerramos este encontro de corações, pedindo que Tuas bênçãos envolvam a todos nós; que possa Senhor, amparar e fortalecer a todos os dirigentes espíritas, nossa Casa Espírita e a todos os trabalhadores e voluntários das lides espíritas. Rogamos Senhor por todas as Religiões, por todos aqueles que com tarefas evangelizadoras. Senhor, rogamos pela Paz mundial, pelo respeito entre as nações e pela harmonia entre os povos. Rogamos pelo nosso Brasil e nossos governantes. Rogamos Senhor, por todos aqueles que se encontram em sofrimento seja onde for. Oramos Mestre Jesus pelos nossos irmãos suicidas para que sejam amparados, esclarecidos e acolhidos. Que todas as crianças e jovens tenham amparo e proteção, que sejam sempre encaminhados para o bem, para Teu Amor. Que em todos os lares da terra reinem o amor, a paz, a compreensão e o respeito. Abençoe Senhor, nossos familiares, amigos e a nós mesmos. Que Tua Paz nos envolva sempre.
Divino Amigo esteja sempre ao nosso lado, que tenhamos discernimento e perseverança no bem, sempre.
Graças Senhor pelo privilégio do trabalho no bem, do estudo edificante e principalmente pela Tua presença em nossas vidas.
Que assim seja.

Uma semana de bênçãos de paz, de amor e de alegrias a todos.
Que Jesus seja nossa companhia.
Sigamos em frente. Sigamos com Jesus.
Paz e Luz.
Depto de Evangelho no Lar - CEFA.

 

comments powered by Disqus