Associação de Divulgação da Doutrina Espírita

São José do Rio Preto - SP

Hora do Evangelho no Lar - Quem é minha Mãe e quem são meus Irmãos- Todas as segundas - 12 hs.

Centro Espírita Francisco de Assis - Depto do Evangelho no Lar - segunda-feira, 20 de julho de 2015

HORA DO EVANGELHO NO LAR
“Jesus não perdia nenhuma ocasião de ensinar, Serviu-se, portanto, da que lhe oferecia a chegada de sua família, para estabelecer a diferença entre o parentesco corporal e o parentesco espiritual.”  (ESE – Cap. XIV – itens 5 a 7).

PRECE
Queridos irmãos, que a Paz de Jesus nos envolva a todos neste momento.
Mestre Jesus que conheceis todas as nossas imperfeições, que nos ama profundamente, auxiliai-nos a compreender as leis divinas.
Faz-nos entender Teu Evangelho de Luz, ensina-nos a aplicá-lo em nossas vidas, afim de que possamos ser cada dia melhores.
Auxilia-nos Mestre a reconhecermos e corrigirmos nossas próprias falhas e imperfeições.
Dai-nos força e coragem para sermos humildes e mostrai-nos o caminho da iniciativa para solucionarmos nossas próprias dificuldades,
Mostrai-nos o caminho da persistência, para evitarmos o desânimo,
Mostrai-nos o caminho da caridade, para nos desviarmos do egoísmo e assim dividirmos os benefícios que recebemos todos os dias, com nossos irmãos do caminho.
Agradecidos por mais esta oportunidade de estudo, iniciamos em Teu nome Mestre Jesus, em nome de Francisco de Assis e de nossos Benfeitores Espirituais.
Esteja sempre conosco e que assim seja.
Graças a Deus. Graças a Jesus.

MENSAGEM INICIAL

Em família
“Aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família e a recompensar seus pais, porque isto é bom e agradável diante de Deus.”  – Paulo (I Timóteo, 5:4)

A luta em família é problema fundamental da redenção do homem na Terra. Como seremos benfeitores de cem ou mil pessoas, se ainda não aprendemos a servir cinco ou dez criaturas? Esta é indagação lógica que se estende a todos os discípulos sinceros do Cristianismo.
Bom pregador e mau servidor são dois títulos que se não coadunam.
O apóstolo aconselha o exercício da piedade no centro das atividades domésticas, entretanto, não alude à piedade que chora sem coragem ante os enigmas aflitivos, mas àquela que conhece as zonas nevrálgicas da casa e se esforça por eliminá-las, aguardando a decisão divina a seu tempo.
Conhecemos numerosos irmãos que se sentem sozinhos, espiritualmente, entre os que se lhes agregaram ao círculo pessoal, através dos laços consangüíneos, entregando-se, por isso, a lamentável desânimo.
É imprescindível, contudo, examinar a transitoriedade das ligações corpóreas, ponderando que não existem uniões casuais no lar terreno. Preponderam aí, por enquanto, as provas salvadoras ou regenerativas. Ninguém despreze, portanto, esse campo sagrado de serviço por mais se sinta acabrunhado na incompreensão. Constituiria falta grave esquecer-lhes as infinitas possibilidades de trabalho iluminativo.
É impossível auxiliar o mundo, quando ainda não conseguimos ser úteis nem mesmo a uma casa pequena – aquela em que a Vontade do Pai nos sitiou, a título precário.
Antes da grande projeção pessoal na obra coletiva, aprenda o discípulo a cooperar, em favor dos familiares, no dia de hoje, convicto de que semelhante esforço representa realização essencial.
Emmanuel - Pão Nosso – Psicografia: Francisco Cândido Xavier – Ed.: FEB.

LEITURA DO EVANGELHO

Cap.14 – HONRA A TEU PAI E A TUA MÃE.
- Quem é minha Mãe e quem são meus Irmãos?
5 – E vieram à casa; e concorreu de novo tanta gente, que nem mesmo podiam tomar o alimento. — E quando isto ouviram os seus, saíram para o prender; porque diziam: Ele está furioso. E chegaram sua mãe e seus irmãos, e ficando da parte de fora, o mandaram chamar. — Estava sentado à roda de um crescido número de gente, e lhe disseram: Olha que tua mãe e teus irmãos te buscam aí fora.— E ele respondeu, dizendo: Quem é minha, e quem são meus irmãos? — E olhando para os que estavam sentados à roda de si: Eis aqui, lhes disse, minha mãe e meus irmãos. Porque o que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã e minha mãe. (Marcos, III: 20-21 e 31-35 – Mateus, XII: 46-50).
6 – Certas palavras parecem estranhas na boca de Jesus, pois contrastam com a sua bondade e a sua inalterável benevolência para com todos. Os incrédulos não deixaram de se aproveitar disso, para dizer que Ele se contradizia a si mesmo. Um fato irrecusável, porém, é que a sua doutrina tem por base essencial, por pedra angular, a lei do amor e da caridade. Ele não podia, pois, destruir de um lado o que construía do outro, de onde é imperioso tirar esta conseqüência rigorosa: se certas máximas estão em contradição com aquele princípio, é que as palavras que se lhe atribuem foram mal reproduzidas, mal compreendidas, ou não lhe pertencem.
7 – Admira-se, e com razão, de ver Jesus mostrar, nesta circunstância, tenta indiferença para com os seus, e de qualquer sorte renegar sua mãe. Pelo que respeita aos seus irmãos, sabe-se que nunca tiveram simpatia por Ele. Espíritos pouco adiantados, não haviam compreendido a sua missão. Era bizarra, para eles, a conduta de Jesus, e seus ensinamentos não os haviam tocado, pois nenhum deles se fez seu discípulo. Parece mesmo que eles participavam, até certo ponto, das prevenções de seus inimigos. De resto, é certo que o recebiam mais como um estranho do que como um irmão, quando se apresentava em família. E São João diz, positivamente: que não acreditavam nele. (Ver cap. VII)
Quanto à sua mãe, ninguém contestaria sua ternura para com o filho. Mas é necessário convir, também, que ela não parece ter feito uma idéia justa de sua missão, pois jamais se soube que seguisse os seus ensinos, nem que desse testemunho dele, como o fez João Batista. A solicitude maternal era o seu sentimento dominante. No tocante a Jesus, supor que houvesse renegado sua mãe seria desconhecer-lhe o caráter, pois semelhante pensamento não poderia animar aquele que disse: Honra a teu pai e a tua mãe. É, pois, necessário procurar outro sentido para as suas palavras, quase sempre veladas pela forma alegórica.
Jesus não perdia nenhuma ocasião de ensinar. Serviu-se, portanto, da que lhe oferecia a chegada de sua família, para estabelecer a diferença entre o parentesco corporal e o parentesco espiritual.

Algumas reflexões sobre a lição estudada.
A lição leva-nos a uma reflexão sobre a composição do nosso núcleo familiar: Nosso núcleo familiar consangüíneo é o primeiro agrupamento em que nos compete fazer o Bem, mas não é o único. Nossa família é a Humanidade inteira.
Se falarmos em termos físicos, não temos dúvida, meu pai é Seu Fulano, minha mãe é Dona Beltrana, e meus irmãos são os cicranos. Contudo, a lição de Jesus Cristo não era para aquele momento, era para todos os tempos. Meu pai, minha mãe, meus irmãos, estão na Humanidade.
Necessário aprendermos a auxiliar em todos os sentidos nosso núcleo familiar, para que sejamos úteis na obra coletiva do Pai, a Humanidade.
Pensemos nisto!
A lição nos mostra que temos dois níveis de parentela: A parentela corporal e a parentela espiritual – estudaremos na próxima semana.

VIBRAÇÕES
"Porque onde estiverem reunidos em meu nome, lá estarei presente." Jesus. (MATEUS, 18:20.)

Neste momento vamos elevar nossos pensamentos, conectando-nos com Deus, com Jesus, com nossos mentores espirituais e deixar-nos envolver por sentimentos de gratidão, amor, carinho e bondade. E assim, conectados com o mais alto vamos começar a doar desse imenso amor que nos invade a alma, vamos doar a todos aqueles que sabemos necessitar de um amparo:
- Aos doentes e acamados, que estão nos hospitais ou em suas casas, num leito de dor, que possam receber o lenitivo e os medicamentos necessários para seu bem estar físico espiritual e mental.
- Aos idosos, aos jovens, as crianças, para que recebam as bênçãos dos céus;
- A todos os trabalhadores e estudantes para que sejam sempre protegidos em seus caminhos, durante o trajeto de ida e volta de seus trabalhos ou de suas escolas e, também para que seus lugares de trabalho e estudo também sejam protegidos e abençoados.
- A todos aqueles que sofrem de depressões, de vícios e outros problemas que os deixam fragilizados e isolados da vida, para que Deus os envolva em sua infinita misericórdia, renovando-lhes as forças e dando sustentação para eles e também para seus familiares.
- Vibremos por todas as famílias, para que sejam sempre amparadas e fortalecidas no amor.
- Vibremos por todos aqueles que divulgam o Evangelho de Jesus, levando esperança a todos os corações. Que Jesus os abençoe e os fortaleça para que não desanimem nunca diante da tarefa abraçada.
-Vibremos por nossa Casa Espírita, por seus dirigentes, coordenadores, pelos seus assistidos e por toda equipe espiritual que dá a assistência que tanto necessitamos.
- Vibremos de maneira especial por todos aqueles que estão neste momento desempregados e para todos aqueles que também estão correndo o risco de perderem seus empregos. Que Jesus ilumine a todos, fortalecendo-os para que assim consigam a calma e o esclarecimento necessário para enxergarem novos caminhos profissionais.
- Vibremos agora por todos os nossos familiares, por nossos amigos e por aqueles que não nos querem bem. Que todos sejam envolvidos em um grande abraço amoroso que acalma a alma e faz vibrar em seus corações o amor de Jesus.
- Agora, com a permissão de Jesus, vibramos por nós mesmos, para que tenhamos sempre tolerância para com nossas falhas, compreensão para com nossas próprias fragilidades e coragem para mudarmos aquilo que já temos condições de mudar.
E assim, finalizando, agradecemos aos nossos benfeitores o auxilio na doação de nossas energias.
Graças a Deus, Graças a Jesus.
(silenciar uns segundinhos)

PRECE FINAL
"Coloca o teu recipiente de água cristalina à frente de tuas orações e espera e confia." [Emmanuel / Chico Xavier]
Senhor Jesus, ao término de mais um estudo queremos Te agradecer, assim como agradecer aos benfeitores espirituais que nos auxiliaram e nos proporcionaram a sustentação necessária.
Rogamos Senhor, permissão para que os Benfeitores Espirituais fluidifiquem nossas águas, para que possamos obter o equilíbrio de nossas energias física, mental e espiritual.
Que tenhamos sempre força, coragem e resignação.
Inspira-nos Senhor a vermos em tudo somente o que é bom para nossa evolução e ajudai-nos a reprimir nossas inclinações para o mal.
Que Vossa suave influência penetre em nossas almas e nos faça enxergar em nossos companheiros de jornada somente o bem que há neles, que nossos olhos se fechem para todas as maldades e para todos os comentários e julgamentos menos felizes.
Que possamos compreender que somos parte da grande família espiritual da Humanidade, que somos todos irmãos e que a compreensão e o amor devem fazer parte de nossos dias.
Que Jesus seja nossa companhia, que nos dê bom animo, que nos dê alegria de viver e que Tua Paz esteja sempre conosco.
E que assim seja.

 

FELIZ E ABENÇOADA SEMANA A TODOS!

 

comments powered by Disqus